26, abril , 2019
Home Jundiaí e Região A LÍNGUA de Jundiaí não faz falta para o multiprofissional Thiago
A LÍNGUA

A LÍNGUA de Jundiaí não faz falta para o multiprofissional Thiago

Morando em Nova Iorque há 17 anos, o multiprofissional Thiago Ferragut Passos, de 42 anos, diz que sente falta da Serra do Japi e de jogar futebol. Mas fica aliviado ao ficar longe do que ele chama de a língua da cidade. Aliás, isto seria – na opinião dele – algo que Jundiaí poderia aprender com os americanos: cada um fazer o seu sem se preocupar com o que os outros vão falar. A habilidade de receber negócios interessantes, principalmente na área alimentícia, que não fechem por falta de interesse do público, é outra coisa que caberia bem por aqui, na opinião dele. A entrevista com Thiago:

Em quais áreas você atua nos Estados Unidos?

Sou preparador físico de golfe, empresário e gerente de processos de mídias sociais.

Você é casado? Tem filhos?

Sim. Sou casado com Danielle Nogueira de Sá, modelo jundiaiense que faz muito sucesso em Nova Iorque. Temos dois filhos: Bernardo e Martina.

Onde você morou e estudou em Jundiaí? Chegou a trabalhar por aqui?

Morei na vila Rio Branco, no Mato Dentro, e na rua do Retiro. Estudei no Anchieta, na La Fontaine, e no Leonardo Da Vinci. Fui da equipe que abriu a academia de musculação do Clube Jundiaiense. Também fiz parte da equipe que abriu a academia do Tênis Clube. Era to time do Café Tequila quando foi aberto, trabalhando com o Cuca e Ado Chagas. Trabalhei também como guia de turismo para a Rosa Massoti.

A classe de Thiago na escola La Fontaine, em 1990
Abertura do Café Tequila: Elvis, Thiago, Alexandre Massoti, Augusto Bernardi e a Val Medeiros
Foto que marca a saída de Thiago de Jundiaí: Alexandre Massoti, Alexandre Saraiva, Augusto Bernardi, e Gustavo Parise.

Sua família ainda está morando em Jundiaí?

Sim. Tenho tios e primos aí. Minha avó, Ana Therezinha Azzoni Ferragut, morreu no começo deste ano…

Você sente falta de algo da sua terra natal? E tem algo que você não faz a mínima questão de rever?

Da Serra do Japi e de jogar futebol no Clube Jundiaiense…Não sinto falta da língua de Jundiaí(risos).

Por que decidiu se mudar para a América?

Uma amiga tinha um sofá disponível e me ofereceu para ficar um mês na casa dela… Antes, morei em San Diego, na Califórnia. Foi em 2000. Tabalhei numa fábrica de pranchas de snowboard e como caixa de restaurante fast-food. Estas atividades ajudaram a juntar uma grana pra fazer um crédito de Fisiologia do Exercício na Universidade da Califórnia, o que me ajudou a passar num concurso para uma grande academia de São Paulo. Foi nesta academia que conheci a pessoa que ofereceu o sofá de Nova Iorque. Destino, né?

Morando tanto tempo aí, algo ainda causa impacto em você?

O clima infernal. O tempo que dura o inverno numa cidade cosmopolita. Frio, chuva e vento durante seis meses do ano. Normalmente vem acompanhado com depressão sazonal das pessoas. Pode-se falar que influencia o temperamento das pessoas. Todas, mas especialmente os brasileiros que sentem falta do sol. Ainda mais que agora! Com Facebook e Instagram ficamos vendo todo mundo postar fotos de praias, piscinas, churrascos…

E o que há de bom aí?

Gosto da proximidade de tudo que acontece dentro das artes, cinema, televisão. Gosto do fato de ser o centro do mundo e de ser um mercado extremamente competitivo em todos os campos, o que faz com que você tenha que sempre se superar e correr atrás. E isso passa a ser uma necessidade: se não quer viver a 110%, aqui não é um bom lugar…

Thiago, a esposa e filhos, moradores de Nova Iorque: todos felizes
Jundiaienses em NY: Stella Campaner, Carol Rodrigues, Danielle Nogueira, Anastacia Ninos, André Guerra e Thiago

Pensou em voltar?

Não. O único momento que levantamos essa questão foi logo após o 11 de Setembro de 2001, um mês após minha esposa, então namorada, chegar. Discutimos  se valeria a pena ficar após um atentado. Ficamos. Poucas coisas nos tirariam daqui.

Os americanos levam a sério os brasileiros?

Eles respeitam os brasileiros sérios e que entendem como se comportar numa sociedade com gente de todo o mundo, com culturas e comportamentos diferentes. Mas há sempre uma expectativa que ao redor de brasileiros há grupos interessantes e que gostam de se juntar para celebrar. E as celebrações normalmente são boas!

Dá vergonha dizer que é brasileiro?

Eu não sinto vergonha de ser brasileiro. Sinto orgulho. Mas sinto muita vergonha de muitos brasileiros que não são bons cidadãos, como políticos e alguns empresários que tentam burlar as regras.

O que mais perguntam para você?

Os americanos só querem saber do Rio de Janeiro.

Um dia chegaremos ao nível dos norte-americanos?

Pergunta muito ampla e milhares de direções. Acho que os brasileiros, individualmente, têm tudo pra chegarem onde quiserem em qualquer mercado, é só trabalhar duro e correr atrás. Como sociedade, acho difícil. Não há interesse num país de tanta desigualdade social que todos cresçam como nação, então a estrutura social que temos dificulta em muito essa “mudança de nível”. Temos esta mentalidade de que somos “colonizados”, coisa que é difícil de se mudar. Aqui nos EUA, a entrada dos peregrinos ingleses, que fugiam da perseguição política, fez com que eles viessem para cá com o objetivo de montar um país. Os portugueses vieram pra saquear e levar os nossos tesouros para a Europa. E quem estava no comando sempre teve a tendência de ficar com tesouros para eles próprios. Herança que guardamos até hoje…

 

NOS ESTADOS UNIDOS, WILNA TEM ORGULHO DE DIZER QUE É BRASILEIRA

 

GUIRAO, DO BAIRRO SANTA GERTRUDES, SE ELEGEU VEREADOR EM UMUARAMA

 

PARA DANILO, O BRASIL NÃO DEVE QUER SER PARECIDO COM OS EUA

 

KÁTIA ESTÁ DEIXANDO AS AMERICANAS MAIS BONITAS

 

COMO UM BANDEIRANTE, EUCLIDES DESBRAVOU NIQUELÂNDIA(GO)

 

PARA RAFAELA, JUNDIAÍ AGORA É UMA CIDADE PARA OS FINAIS DE SEMANA

 

O DESEMPREGO LEVOU CAROLINA E O MARIDO PARA A IRLANDA

 

RENATA RECARREGA AS BATERIAS AO VIR DA ITÁLIA PARA O BRASIL

 

A PEDAGOGA GISELE ESTRANHOU A NOVA VIDA EM SANTOS

 

URU É MENOR DO QUE MUITOS BAIRROS DE JUNDIAÍ. E MARIA NÃO A TROCA POR NADA

 

NO JAPÃO, MURATA TEM VERGONHA DOS ESCÂNDALOS POLÍTICOS DO BRASIL

 

SANDRA NA ALEMANHA: PREFIRO O FRIO, A SEGURANÇA, A EDUCAÇÃO E O RESPEITO

 

AS SEMELHANÇAS E DIFERENÇAS ENTRE O BRASIL E O MÉXICO, SEGUNDO CRISTIANE

 

NO RIO, EX-JUIZ VAI PARA O SEGUNDO TURNO

 

CANSADA DA VIOLÊNCIA E CORRUPÇÃO, ANA PAULA FOI PARA A AUSTRÁLIA

 

EX-SECRETÁRIA DE DILMA ESTÁ FORA DAS ELEIÇÕES DESTE ANO

 

DA ITÁLIA, FABIOLA NÃO VÊ ELEITOR BRASILEIRO CONSCIENTE

 

A DOUTORA QUE É TERRÍVEL CONTRA OS INSETOS

 

GENIVAL, O GUERREIRO JUNDIAIENSE QUE LUTA PELO TIO SAM


NÃO DEIXE DE VER O FACEBOOK DO JUNDIAÍ AGORA. É SÓ CLICAR AQUI PARA ACESSAR!!!


 

  • Termos e condições para publicação de comentários de leitores

    O presente termo tem como objetivo informar as condições para a publicação de comentários em murais e matérias jornalísticas no site Jundiaí Agora, na forma que se passa a expor:

    É vetada a publicação de comentários que:

    • sejam falsos ou infundados;
    • invadam a privacidade de terceiros ou manifestamente os prejudique;
    • promovam racismo contra grupos de minorias ou qualquer forma de fanatismo político ou religioso, discriminando grupos de pessoas ou etnias;
    • violem direitos de terceiros, tais como direitos de propriedade intelectual;
    • tenham conotação publicitária, promocional ou de propaganda, ou, ainda, que demonstrem preferência por alguma empresa ou marca(banners publicitários, vendas on-line, etc);
    • promovam discriminação de qualquer natureza;
    • incitem à violência;
    • explorem medo ou superstição;
    • se aproveitem da deficiência de julgamento e inexperiência das crianças;
    • desrespeitem valores ambientais;
    • apresentem linguagem grosseira, obscena e/ou pornográfica;
    • promovam “correntes” ou “pirâmides” de qualquer espécie;
    • violem a legislação pátria.
    • calúnia, difamação, injúria, ofensa, perturbação da tranquilidade alheia, perseguição, ameaça ou violação de direitos de terceiros;
    • propaganda política para candidatos(partidos ou coligações) e propaganda de seus órgãos ou representantes;
    • páginas e arquivos criptografados/ protegidos por senhas;
    • programas/arquivos que contenham vírus ou qualquer outro código que ponha em risco arquivos;
    • programas ou componentes de computador de usuários que venham a acessar a página do Jundiaí Agora;
    • Todo tipo de pirataria, inclusive de software;
    • O usuário não poderá utilizar-se dos serviços do site desviando a finalidade dele para cometer qualquer atividade ilícita.

    A Rapha.com reserva-se o direito de despublicar (retirar do site) os comentários que não atendam aos padrões sociais, culturais e éticos que regem a matéria.

    Fica estabelecido que o autor do comentário é inteiramente responsável pelo conteúdo nessa havido, quer perante a Rapha.com, quer perante terceiros.

    As opiniões expostas nos comentários não representam as opiniões da Rapha.com/Jundiaí Agora.

    A Rapha.com não se responsabiliza por qualquer dano advindo dos comentários publicados.
    Os usuários do site Jundiaí Agora concordam com as regras contidas neste termo, e desde já autorizam a sua publicação, inclusive nas redes sociais, estando cientes, ainda, que os comentários poderão ser indexados em buscadores nacionais e internacionais, assim como os conteúdos a que estão vinculados.

  • Termos e condições para publicação de comentários de leitores

    O presente termo tem como objetivo informar as condições para a publicação de comentários em murais e matérias jornalísticas no site Jundiaí Agora, na forma que se passa a expor:

    É vetada a publicação de comentários que:

    • sejam falsos ou infundados;
    • invadam a privacidade de terceiros ou manifestamente os prejudique;
    • promovam racismo contra grupos de minorias ou qualquer forma de fanatismo político ou religioso, discriminando grupos de pessoas ou etnias;
    • violem direitos de terceiros, tais como direitos de propriedade intelectual;
    • tenham conotação publicitária, promocional ou de propaganda, ou, ainda, que demonstrem preferência por alguma empresa ou marca(banners publicitários, vendas on-line, etc);
    • promovam discriminação de qualquer natureza;
    • incitem à violência;
    • explorem medo ou superstição;
    • se aproveitem da deficiência de julgamento e inexperiência das crianças;
    • desrespeitem valores ambientais;
    • apresentem linguagem grosseira, obscena e/ou pornográfica;
    • promovam “correntes” ou “pirâmides” de qualquer espécie;
    • violem a legislação pátria.
    • calúnia, difamação, injúria, ofensa, perturbação da tranquilidade alheia, perseguição, ameaça ou violação de direitos de terceiros;
    • propaganda política para candidatos(partidos ou coligações) e propaganda de seus órgãos ou representantes;
    • páginas e arquivos criptografados/ protegidos por senhas;
    • programas/arquivos que contenham vírus ou qualquer outro código que ponha em risco arquivos;
    • programas ou componentes de computador de usuários que venham a acessar a página do Jundiaí Agora;
    • Todo tipo de pirataria, inclusive de software;
    • O usuário não poderá utilizar-se dos serviços do site desviando a finalidade dele para cometer qualquer atividade ilícita.

    A Rapha.com reserva-se o direito de despublicar (retirar do site) os comentários que não atendam aos padrões sociais, culturais e éticos que regem a matéria.

    Fica estabelecido que o autor do comentário é inteiramente responsável pelo conteúdo nessa havido, quer perante a Rapha.com, quer perante terceiros.

    As opiniões expostas nos comentários não representam as opiniões da Rapha.com/Jundiaí Agora.

    A Rapha.com não se responsabiliza por qualquer dano advindo dos comentários publicados.
    Os usuários do site Jundiaí Agora concordam com as regras contidas neste termo, e desde já autorizam a sua publicação, inclusive nas redes sociais, estando cientes, ainda, que os comentários poderão ser indexados em buscadores nacionais e internacionais, assim como os conteúdos a que estão vinculados.