ANÁLISE SINTÁTICA? E as angústias de uma criança???

ANÁLISE SINTÁTICA

Uma parcela da juventude com discernimento já percebeu que a escola convencional não tem respostas para todos os problemas reais. De que tem valido decorar os coletivos, os afluentes do Amazonas, fazer análise sintática e ignorar as angústias de uma criança que já nasceu nesta ameaçadora era digital?

O olhar inocente da criança e o talento de um adolescente predestinado percebem que a nossa forma de organizar o mundo falhou. Não damos conta das desigualdades, não conseguimos refrear a violência, acabamos com a natureza, colocamos em consistente risco real a sobrevivência da espécie neste sofrido planeta.

Isso explica em parte o repúdio à escola, sobretudo quando o educando adquire a idade da razão. Não soubemos cativá-lo para mostrar que a educação ainda é o melhor caminho. Nossas aulas são chatas. São insossas. Repetem informações superadas. O Google atende melhor à curiosidade juvenil.

Para fazer com que ele retome o amor pelo aprendizado, nada como demonstrar que sua criatividade pode melhorar o mundo. Desenvoltura no inglês é pressuposto. Mas o idioma que mudou o planeta é o da tecnologia. Justamente o setor mais negligenciado pelo sistema educacional brasileiro.

O aluno de hoje se encantará com a robótica, desde os primeiros anos. É com ela que ele aprende a pensar, a desenvolver raciocínio lógico e a trabalhar com criatividade. O lado bom da aparente dependência aos games, aos jogos, ao YouTube, tudo a preocupar pais perplexos, é o de que esse exercício ampliará as oportunidades de seus filhos no futuro.

OUTRO ARTIGO DE JOSÉ RENATO NALINI

QUE LÍNGUA PORTUGUESA É ESSA?

O mundo precisa de profissionais competentes para criar tecnologia. Esta não é panaceia. É ferramenta, não finalidade. Só consegue criar aquilo de que a humanidade tem urgência, aquele que conseguir conciliar as habilidades cognitivas às competências socioemocionais.

A espécie considerada a única racional precisa de pessoas tecnicamente qualificadas, mas também providas de empatia, de compaixão, de sensibilidade e de talento para respeitar as diferenças e para conviver em harmonia com todas as individualidades.(Foto: www.cspb.org.br)

JOSÉ RENATO NALINI

Desembargador aposentado, reitor da Uniregistral, docente da Pós-graduação da Uninove e Presidente da Academia Paulista de Letras.

VEJA TAMBÉM

COLETA DE EXAMES DEIXA GESTANTES APREENSIVAS. ASSISTA AO VÍDEO COM GINECOLOGISTA LUCIANE WOOD

FISK DA RUA DO RETIRO: SAIBA O QUE SÃO QUESTIONS WORDS. CLIQUE AQUI

OS 103 ANOS DA ESCOLA PROFESSOR LUIZ ROSA

ACESSE O FACEBOOK DO JUNDIAÍ AGORA: NOTÍCIAS, DIVERSÃO E PROMOÇÕES

PRECISANDO DE BOLSA DE ESTUDOS? O JUNDIAÍ AGORA VAI AJUDAR VOCÊ. É SÓ CLICAR AQUI