15, novembro , 2018
Home Eleições Agora são os coronéis que PRESTAM CONTINÊNCIA ao capitão

Agora são os coronéis que PRESTAM CONTINÊNCIA ao capitão

Trinta e três anos depois que o último general – João Baptista Figueiredo – deixou a presidência da República pedindo para que fosse esquecido, um militar volta ao Palácio do Planalto. O capitão da reserva Jair Messias Bolsonaro foi eleito e assumirá o comando do Brasil no dia 1º de janeiro do próximo ano. E ninguém melhor para falar como será o governo de um militar do que dois colegas de farda. O Jundiaí Agora entrevistou o coronel reformado Cláudio Benevides, que comandou o 12º Grupo de Artilharia de Campanha(GAC), em Jundiaí, e a coronel Carla Basson, que comanda o 11º Batalhão da PM, no Anhangabaú. Por ironia, os dois estão nos mais altos patamares da hierarquia militar. Porém, na presença do presidente, terão de prestar continência a ele.

Surpreendentemente, Benevides (foto ao lado) não tinha Bolsonaro como a primeira opção. Mas passado o segundo o turno, ele acredita que o presidente eleito “é o cara certo para o lugar certo”.

O senhor votou em Bolsonaro no dia 7?

Ele não era o meu preferido. Eu gostei mais das propostas do Amoedo(NOVO). Achava que ele era mais bem preparado…

Mas agora deu Bolsonaro…

Parafraseando Luiz de Camões, um fraco rei faz fraca a forte gente. Para o momento atual, Bolsonaro é o remédio amargo que o Brasil precisa. Ele é o cara certo no lugar certo. É preciso ter um chefe exigente, que saiba cobrar e não deixar as coisas correrem frouxas como estava acontecendo. A sociedade habitou-se ao PT. E esqueceram que é preciso seguir o lema que está na bandeira no Brasil: Ordem e Progresso!

Muita gente disse que Jair Bolsonaro ‘rasgará’ a Constituição. O que o senhor pensa desta possibilidade.

Ele não passará por cima da Carta Magna. Ele não terá ousadia para isto. Quem fala estas coisas se remete a 1964, ano da revolução, quando os militares tomaram o poder. Mas se esquecem que 1964 foi a consequência do que aconteceu em 1935, com a Intentona Comunista, muito sentida no Rio de Janeiro e no Nordeste. O que aconteceu em 1964 foi somente a contra-revolução.

O senhor conheceu Bolsonaro pessoalmente?

Não. Ele é mais novo do que eu na carreira militar. O que sei dele é que foi um militar que apresentou certa rebeldia, que reclamava dos valores vencimentos(salários). Isto não é normal. É preciso lembrar que à Nação tudo se deve dar e nada pedir. Ele foi punido naquela ocasião.

Como será o governo dele?

Creio que voltaremos aos princípios, seguindo a legislação, a disciplina e o respeito. Hoje tudo está uma bagunça. Se Bolsonaro contar com o apoio da população conseguirá arrumar a casa. O Congresso dará sustentação e ele fará um governo tranquilo. De imediato imagino que ele escolherá bem os futuros ministros e implementará projetos coerentes, dentro da lei e da lógica.

A história recente do Brasil mostra que os vices acabam assumindo a presidência. O que o senhor acha do vice de Bolsonaro, o general Mourão.

Na Cavalaria existe um ditado: “Não se tira alguém que não é de confiança para dançar”. Eu acho que o general não está preparado para esta missão. Parece que não tem uma linha muito disciplinada. Fala o que não é para falar. Não fica quieto…

Também falam criticam muito os possíveis métodos que Bolsonaro poderá adotar para combater a violência. Além de coronel do Exército o senhor comandou a Guarda Municipal de Jundiaí. O que pensa a respeito?

Para combater a violência, o comando precisa estar com uma pessoa firme. O malandro, o bandido, sabe com quem está lidando. Sempre considerei um absurdo quando dizem que não se deve reagir a um assalto, por exemplo. A reação vai da ocasião. Eu, por exemplo, nunca entregaria facilmente meu patrimônio.




“Creio que o presidente eleito será um legalista”

A coronel Carla deixa claro que não pode prever o futuro nem afiançar e assinar embaixo as ações que Jair Messias Bolsonaro adotará assim que assumir a Presidência da República. Mas, assim como Cláudio Benevides, vê Bolsonaro de militar para militar. Carla foi candidata a vice-governada no chapa encabeçada por Paulo Skaf(MDB). Por muito pouco os dois não chegaram ao segundo turno. A coronel lembra que “Bolsonaro foi capitão do Exército. E um militar é sempre legalista e prima por preservar a Constituição. Ele não fala em perseguir ninguém. Pelo contrário. Ele fala no respeito aos direitos das pessoas, estando cada um no seu espaço”, comentou.

Quanto ao combate imediato à criminalidade, Carla enfatiza que esta foi a principal bandeira de campanha do presidente eleito. “Ele deverá tomar ações rápidas. Todos estão confiantes pela trajetória dele, pelo que disse. O Bolsonaro fala de moralidade, ética e respeito à população, o que inclui também melhorar a situação econômica do país”, argumentou.

Para Carla, dentro do quadro crítico de crise política e pelas propostas apresentadas, “resgatando valores há tempos perdidos na política o que refletirá na questão governamental, Bolsonaro é a melhor opção se cumprir tudo o que disse na campanha. “Ele deverá fazer as mudanças tão necessárias para o Brasil neste momento”, concluiu.




Então o senhor é favorável ao porte de arma para todos?

Sim. Mas primeiro é necessário desarmar o bandido para depois desarmar o cidadão, que tem o direito legítimo de se defender. E se você surpreender o criminoso, deve sim reagir.

Bolsonaro é muito criticado quando diz ironicamente que os policiais entregarão flores aos bandidos, nos morros…

Só entende de combate no morro que já subiu um. Eu já subi. É preciso entender que o temor deve ser do bandido.

Mas este tipo de ação cabe ao Exército?

Não…

VEJA TAMBÉM

DEPUTADOS DE FORA: JUNDIAÍ AGORA TENTA, TENTA E NINGUÉM DÁ RETORNO

O presidente eleito também foi muito criticado por responder que não sabe tudo de economia.

Ninguém domina tudo. Ele foi honesto ao responder assim. O Bolsonaro, creio, não está preparado ainda para lidar com certos grupos sociais.

Ele também disse que quer acabar com a reeleição…

Vejo isto com muita simpatia. Nos quartéis, os comandantes ficam apenas dois anos. É da natureza humana querer o poder. Costumamos dizer que no primeiro ano se aprende a comandar. No segundo se coloca em prática o que foi aprendido. No terceiro, o comandante só faria coisas erradas…(Foto principal: tribunadopovo.blogspot.com)

Facebook Comments

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here

CAPTCHA


  • Termos e condições para publicação de comentários de leitores

    O presente termo tem como objetivo informar as condições para a publicação de comentários em murais e matérias jornalísticas no site Jundiaí Agora, na forma que se passa a expor:

    É vetada a publicação de comentários que:

    • sejam falsos ou infundados;
    • invadam a privacidade de terceiros ou manifestamente os prejudique;
    • promovam racismo contra grupos de minorias ou qualquer forma de fanatismo político ou religioso, discriminando grupos de pessoas ou etnias;
    • violem direitos de terceiros, tais como direitos de propriedade intelectual;
    • tenham conotação publicitária, promocional ou de propaganda, ou, ainda, que demonstrem preferência por alguma empresa ou marca(banners publicitários, vendas on-line, etc);
    • promovam discriminação de qualquer natureza;
    • incitem à violência;
    • explorem medo ou superstição;
    • se aproveitem da deficiência de julgamento e inexperiência das crianças;
    • desrespeitem valores ambientais;
    • apresentem linguagem grosseira, obscena e/ou pornográfica;
    • promovam “correntes” ou “pirâmides” de qualquer espécie;
    • violem a legislação pátria.
    • calúnia, difamação, injúria, ofensa, perturbação da tranquilidade alheia, perseguição, ameaça ou violação de direitos de terceiros;
    • propaganda política para candidatos(partidos ou coligações) e propaganda de seus órgãos ou representantes;
    • páginas e arquivos criptografados/ protegidos por senhas;
    • programas/arquivos que contenham vírus ou qualquer outro código que ponha em risco arquivos;
    • programas ou componentes de computador de usuários que venham a acessar a página do Jundiaí Agora;
    • Todo tipo de pirataria, inclusive de software;
    • O usuário não poderá utilizar-se dos serviços do site desviando a finalidade dele para cometer qualquer atividade ilícita.

    A Rapha.com reserva-se o direito de despublicar (retirar do site) os comentários que não atendam aos padrões sociais, culturais e éticos que regem a matéria.

    Fica estabelecido que o autor do comentário é inteiramente responsável pelo conteúdo nessa havido, quer perante a Rapha.com, quer perante terceiros.

    As opiniões expostas nos comentários não representam as opiniões da Rapha.com/Jundiaí Agora.

    A Rapha.com não se responsabiliza por qualquer dano advindo dos comentários publicados.
    Os usuários do site Jundiaí Agora concordam com as regras contidas neste termo, e desde já autorizam a sua publicação, inclusive nas redes sociais, estando cientes, ainda, que os comentários poderão ser indexados em buscadores nacionais e internacionais, assim como os conteúdos a que estão vinculados.

    Facebook Comments
  • Termos e condições para publicação de comentários de leitores

    O presente termo tem como objetivo informar as condições para a publicação de comentários em murais e matérias jornalísticas no site Jundiaí Agora, na forma que se passa a expor:

    É vetada a publicação de comentários que:

    • sejam falsos ou infundados;
    • invadam a privacidade de terceiros ou manifestamente os prejudique;
    • promovam racismo contra grupos de minorias ou qualquer forma de fanatismo político ou religioso, discriminando grupos de pessoas ou etnias;
    • violem direitos de terceiros, tais como direitos de propriedade intelectual;
    • tenham conotação publicitária, promocional ou de propaganda, ou, ainda, que demonstrem preferência por alguma empresa ou marca(banners publicitários, vendas on-line, etc);
    • promovam discriminação de qualquer natureza;
    • incitem à violência;
    • explorem medo ou superstição;
    • se aproveitem da deficiência de julgamento e inexperiência das crianças;
    • desrespeitem valores ambientais;
    • apresentem linguagem grosseira, obscena e/ou pornográfica;
    • promovam “correntes” ou “pirâmides” de qualquer espécie;
    • violem a legislação pátria.
    • calúnia, difamação, injúria, ofensa, perturbação da tranquilidade alheia, perseguição, ameaça ou violação de direitos de terceiros;
    • propaganda política para candidatos(partidos ou coligações) e propaganda de seus órgãos ou representantes;
    • páginas e arquivos criptografados/ protegidos por senhas;
    • programas/arquivos que contenham vírus ou qualquer outro código que ponha em risco arquivos;
    • programas ou componentes de computador de usuários que venham a acessar a página do Jundiaí Agora;
    • Todo tipo de pirataria, inclusive de software;
    • O usuário não poderá utilizar-se dos serviços do site desviando a finalidade dele para cometer qualquer atividade ilícita.

    A Rapha.com reserva-se o direito de despublicar (retirar do site) os comentários que não atendam aos padrões sociais, culturais e éticos que regem a matéria.

    Fica estabelecido que o autor do comentário é inteiramente responsável pelo conteúdo nessa havido, quer perante a Rapha.com, quer perante terceiros.

    As opiniões expostas nos comentários não representam as opiniões da Rapha.com/Jundiaí Agora.

    A Rapha.com não se responsabiliza por qualquer dano advindo dos comentários publicados.
    Os usuários do site Jundiaí Agora concordam com as regras contidas neste termo, e desde já autorizam a sua publicação, inclusive nas redes sociais, estando cientes, ainda, que os comentários poderão ser indexados em buscadores nacionais e internacionais, assim como os conteúdos a que estão vinculados.

    Facebook Comments