CLIENTE sabe o valor do empreendimento alheio. Assista ao vídeo

CLIENTE

O consultor Alexandre Celani traz o seguinte questionamento: será que todo empresário sabe o valor do próprio negócio? Ele pode até não saber, mas o cliente sabe. Confira:

ALEXANDRE PADILHA CELANI

É orientador financeiro e gestão de negócios, administrador e economista. E-mail: www.invistaconsultoria.com.br; Facebook: www.facebook.com/invistaconsultoria e Instagram: www.instagran.com/consultoriainvista(Foto: www.magestetica.com.br)

VOCÊ SABE O QUE VALUATION???

Valuation é um termo de origem inglesa que significa, adaptado ao português, avaliação de empresas. Ao trabalhar com as percepções que a empresa possui dos investidores e clientes, o valuation envolve o julgamento da posição que ocupa no mercado e a previsão do retorno de investimento nas ações da empresa.

Uma empresa pode ser avaliada em diversas ocasiões e por diferentes motivos: para fins contábeis, depois da realização de uma transação ou aquisição, além de processos judiciais, por exemplo, nos quais os bens precisam ser divididos.

Os responsáveis pela valuation analisam os vários componentes da empresa em questão e estimam o valor monetário dos seus ativos intangíveis, a exemplo da própria marca, do relacionamento com o cliente ou da tecnologia da empresa.

Utilizar essa ferramenta de análise de seu negócio tem vários benefícios, tais como:

  • Identificar as características que o valorizam;
  • Entender aspectos que o fazem valer menos;
  • Saber quanto pode ser investido;
  • Entender o crescimento ao longo dos anos;
  • Negociar, de forma justa, o valor da empresa com o societário.
  • Calculando o valor
  • A sua empresa é capaz de gerar fluxo de caixa livre futuro? Se a resposta for sim, significa que o empreendimento tem valor. Fatores como solidez da marca, posicionamento, imagem e patente também são componentes do valor do negócio.

Grandes e pequenos negócios podem identificar o seu valor por meio das seguintes etapas:

  • Calcular o valor aproximado do fluxo de caixa para os próximos anos, ou seja, o que é recebido e posteriormente gasto;
  • Estipular uma taxa de desconto, identificando os riscos de investimento, tendo como base a bolsa de valores;
  • Somar os resultados aos valores presentes.(Fonte: Sebrae)

VEJA TAMBÉM

ABORTOS RECORRENTES: O NOVO VÍDEO DA GINECOLOGISTA LUCIANE WOOD

OS 103 ANOS DA ESCOLA PROFESSOR LUIZ ROSA

NA FISK DA RUA DO RETIRO TEM CURSO DE LOGÍSTICA

ACESSE O FACEBOOK DO JUNDIAÍ AGORA: NOTÍCIAS, DIVERSÃO E PROMOÇÕES

PRECISANDO DE BOLSA DE ESTUDOS? O JUNDIAÍ AGORA VAI AJUDAR VOCÊ. É SÓ CLICAR AQUI