Os deputados de Jundiaí: o BARÃO queria estradas

Antonio de Queiroz Teles, o Barão de Jundiaí, nasceu no dia 1º de fevereiro de 1789. Era filho de lavradores dedicou-se também a lavoura, ingressando mais tarde na política. Ocupou vários cargos: juiz de paz, vereador, membro da Assembleia Provincial(deputado), juiz municipal, juiz de órfãos e delegado de polícia. Foi um dos defensores da construção de estradas de rodagem. Por este motivo, o Governo Provincial o incumbiu da fiscalização da estrada entre São Paulo e Campinas.

O Barão era muito popular e foi o primeiro colocado nas eleições. Foi sempre incansável em propor – quer na Assembléia, quer perante o Governo – a construção de uma boa estrada entre Jundiaí e Santos.

Por conta de sua popularidade, em 1848, quando o Imperador Dom Pedro II visitou Jundiahy, hospedou-se em sua residência. Teles foi condecorado Comendador da Ordem da Rosa e, posteriormente reconhecidos seus serviços, foi intitulado agraciando-o com o título de “Barão de Jundiaí”.

Queiroz Teles teve oito filhos, entre eles, Joaquim Benedito de Queirós Teles (Barão do Japi), Ana Joaquina do Prado Fonseca (a segunda Baronesa do Japi) e Antonio de Queiroz Teles Filho, o Conde do Parnaíba. Era casado com D. Anna Liduina de Moraes e morreu em 11 de outubro de 1870. Não se sabe se o Barão foi maçom.

LEIA TAMBÉM

A HISTÓRIA DE ELOY DE MIRANDA CHAVES

Entre as homenagens a seu nome, estão diversas ruas, praças e monumentos por todo o Estado de São Paulo. Das mais importantes, a Rua Barão de Jundiaí (conhecido como Calçadão da Barão), o Museu Solar do Barão (com história da cidade na época do império) e o Grupo Militar Barão de Jundiahy (no 12º GAC). Na cidade de São Paulo, mais especificamente no bairro da Lapa, a Rua Barão de Jundiaí é um importante corredor e calçada de comércio. (Texto base:baraodejundiahy.blogspot.com)