INCONFORMISMO: Candidatos derrotados vão às redes sociais

DESABAFO

Este ano, as redes sociais não serviram apenas para pedir votos. Passada a eleição municipal, alguns candidatos derrotados de Jundiaí não esconderam o inconformismo com o resultado nas urnas. Usaram as redes para o desabafo. A insatisfação com os eleitores que prometeram e não cumpriram veio através de textos recheados de argumentos e promessas duras. Em pelo menos dois casos, se cumpridas, vão prejudicar principalmente a causa animal.

(Foto: redes sociais)

Andrea Seixas(Podemos/foto ao lado) publicou que em 2018 foi candidata a deputada. “Nunca tinha participado de eleição nenhuma e tive quase três mil votos em Jundiaí. Em quase um ano e meio, a caminhada foi grande. Fui assessora parlamentar de uma deputada maravilhosa. Pude indicar verbas para o Instituto Braille e Grendacc”, contou.

Andrea revelou que tem milhares de amigos nas redes sociais e várias linhas de transmissão do Whatsapp, “com retorno de mais de 70%”. Mas, na hora dos amigos votarem, a candidata ficou a ver navios. “Cento e cinquenta e cinco votos é muito humilhante. Cheguei à conclusão que política é para quem tem coragem de fazer qualquer coisa para se dar bem e este não é meu caso. Volto a me dedicar à minha profissão de corretora de imóveis, onde não passo nervoso e meu salário – graças a Deus – é muito maior do que seria como vereadora. Embora quisesse fazer algo para ajudar a mudar a história da nossa cidade, a vontade ‘do povo’ foi outra. Agradeço cada voto que recebi”, conclui ela com inconformismo.

(Foto: redes sociais)

Leonardo Paim(Republicanos/foto ao lado) conseguiu 328 votos. Depois do resultado oficial da eleição em Jundiaí, ele publicou: “adoraria parabenizar alguns candidatos pela vitória. #SQN(Só Que Não). Ganharam na trapaça e com certeza eu perdi muitos votos por conta da boca de urna. Campanha tão limpa que pergunto a vocês: por acaso encontraram algum material com meu nome no chão??? Vida honesta que segue”.

(Foto: redes sociais)

Simone Regina(foto ao lado), da Associação Amigos dos Animais, foi candidata pelo PTB e conseguiu 343 votos. Sem uma cadeira na Câmara Municipal, Simone escreveu em sua conta no Facebook: “Você que precisa de ajuda procure pelo vereador que foi eleito para defender a causa animal. Sou mãe de família, esposa e vivo do trabalho em meu pet shop. Não tenho condições financeiras e muito menos ganho dinheiro da Prefeitura para resgatar animais, como afirmam boatos alheios. Nos últimos 17 anos me dedico aos trabalhos voluntários em prol da causa animal. Muitas vezes me expondo a riscos e até mesmo à má-fé de alguns oportunistas. Não vou desistir dos animais quando me deparar com situações de urgências. Porém, não vou mais fazer resgates. E também não vou sacrificar a minha vida e da minha família para atender pessoas que me procuram somente quando é conveniente para elas. Elegeram um vereador com promessas de campanha, então, cobrem dele aquilo que foi prometido! Antes de baterem na minha porta, procurem o ilustre vereador em seu gabinete. Tenho certeza, que ele vai atender com tanto afinco como quando pediu o seu voto”. Além do texto repleto de inconformismo, Simone publicou foto do vereador Leandro Palmarini, da ONG Bicho Legal, agradecendo os votos que recebeu. Ele é do PL e foi reeleito com 2.411 votos.

(Foto: redes sociais)

Valéria Bianchi(foto ao lado), presidente da ONG SOS Animais Abandonados não foi candidata. Mas, pela página dela no Facebook é possível ver que apoiou Danielle Fogaça Ganen, também ligada à defesa dos bichos. Danielle foi candidata pelo PL e conseguiu 705 votos. Na página da ex-candidata há um agradecimento aos eleitores. Danielle enfatizou que fez uma campanha “de amor aos animais, sem ir para as ruas, sem fundo partidário, sem campanha milionária, sem marketing. Somos vitoriosas já. Isso é só o começo”, escreveu a ex-candidata.

Valéria foi muito mais ácida nos comentários postados depois das eleições e escancarou seu inconformismo. “Quando acharem animais nas ruas, atropelados, machucados, espancados não se esqueçam de pedir socorro ao vereador da causa animal que vocês elegeram pela quarta vez, ou 16 anos de excelentes serviços públicos prestados. Parabéns jundiaienses! Vocês têm exatamente o que merecem. Os mesmos políticos, as mesmas leis que não funcionam, a mesma hipocrisia de sempre. Por isso que neguinho deve estar rolando de rir e chamar o povo de otário. Cidade derrotada, bando de burros”, escreveu.

Depois, Valéria Bianchi usou as redes para fazer um comunicado. Ela informou que “devido a enorme decepção com os eleitores, aviso que a partir desta data(17), a ONG SOS Animais Abandonados não prestará mais serviço público sem remuneração municipal. Quem precisar de resgate de animais, ajuda com castração, ajuda para encontrar cães perdidos, sangrando, esfaqueados, abandonados , estuprados, atropelados, deve ligar para a Câmara Municipal de Jundiaí e escutar do vereador da causa animal que ele só pode cuidar do Legislativo e infelizmente não pode e nunca vai fazer nada para que as ONGs tenham ajuda para este trabalho”, postou. Ela aconselhou os leitores da página a ligarem também na Prefeitura e no Debea, órgão que cuida de animais.

A presidente da entidade continuou com o inconformismo afirmando que mudará de número de telefone e passar o novo apenas para quem a ajuda. “O povo tá certo. Não me procurem mais porque daqui pra frente será no coice. Não dependam mais de mim pra nada. Não me procurem mais. Nunca uma protetora dos animais será vereadora”, afirmou com inconformismo. E publicou a votação de vários vereadores eleitos, entre eles, Palmarini.

Questionado sobre as postagens de Simone e Valéria, o vereador reeleito Leandro Palmarini respondeu que “o trabalho dos vereadores junto ao Legislativo municipal consiste em legislar (fazer leis) e fiscalizar o Poder Executivo. A respeito da causa animal, já são mais de 20 leis aprovadas, de minha autoria, que visam protegê-los, como a que proíbe testes em animais em Jundiaí; a lei que permite que famílias contempladas com unidades habitacionais da Fumas levem seus bichos para as novas moradias; a lei proibição dos fogos com barulho e a lei da Cãoterapia(ambas de autoria conjunta); a lei com multa de até R$ 3 mil para abandono de animais; entre outras. Além destas leis já aprovadas temos outros projeto que encontram-se em tramitação na Câmara aguardando votação. Quanto ao Poder Executivo, a Prefeitura, o Departamento de Bem Estar Animal (Debea) é o órgão responsável pelas questões envolvendo os animais”.

Palmarini ressaltou que “além do trabalho Legislativo temos o trabalho junto a ONG Bicho Legal que realiza mutirões de castração a baixo custo. Os animais também são identificados com microchip e as famílias assistem um filme com dicas de alimentação, saúde e bem-estar enquanto a castração é feita. Já foram realizados 17 mutirões e o próximo deverá ser realizado na Vila Nambi, adiado em virtude da pandemia”. O vereador também citou as feiras nas quais quase 1.027 mil animais já foram adotados em 10 anos.

VEJA TAMBÉM

CIGARRO X MULHERES: GINECOLOGISTA LUCIANE WOOD EXPLICA OS MALEFÍCIOS

FISK DA RUA DO RETIRO: SAIBA O QUE SÃO QUESTIONS WORDS. CLIQUE AQUI

OS 103 ANOS DA ESCOLA PROFESSOR LUIZ ROSA

ACESSE O FACEBOOK DO JUNDIAÍ AGORA: NOTÍCIAS, DIVERSÃO E PROMOÇÕES

PRECISANDO DE BOLSA DE ESTUDOS? O JUNDIAÍ AGORA VAI AJUDAR VOCÊ. É SÓ CLICAR AQUI