EXPORTAÇÕES na região despencam 14,3% em comparação a 2019

EXPORTAÇÕES NA REGIÃO

As exportações na região de Jundiaí registraram US$ 719,2 milhões entre os meses de janeiro a junho deste ano, um decréscimo de 14,3% na comparação com 2019. Já as importações somaram US$ 2,62 bilhões, o que significa uma queda de 5,9% frente aos resultados do mesmo período do ano anterior.

Os números foram divulgados pela Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (FIESP) e o estudo foi elaborado pelos pesquisadores do Departamento de Relações Internacionais e Comércio Exterior (DEREX).

Os principais produtos exportados foram máquinas, aparelhos e instrumentos mecânicos (22,5%), produtos de perfumaria (11%) e máquinas, aparelhos e materiais elétricos (9,4%). Por outro lado, as importações da regional se concentraram em máquinas, aparelhos e materiais elétricos (36%), máquinas, aparelhos e instrumentos mecânicos (17,6%) e plásticos e suas obras (4,3%).

A balança comercial da regional do CIESP Jundiaí reúne a movimentação de empresas que estão situadas, além de Jundiaí, nas cidades de Cajamar, Cabreúva, Itatiba, Itupeva, Louveira, Jarinu, Morungaba, Várzea Paulista, Vinhedo, Campo Limpo Paulista, uma região que, segundo o diretor de Comércio Exterior do CIESP Jundiaí, Marcio Ribeiro, segue a demanda por produtos industrializados. “Esta é uma região altamente industrializada. Quando olhamos as importações e exportações de produtos com alto valor agregado, percebemos a diminuição importante a redução da atividade econômica na região. Mas isso não é algo que aconteceu somente na nossa região, mas no país e no mundo”, avaliou.

Os resultados nacionais demonstram que a exportação de commodities alimentícias apresenta um movimento acentuado. “A demanda por commodities é no mundo inteiro e deve sustentar o superávit da balança comercial brasileira: resultado da necessidade de reposição de produtos no mundo”, explicou. “Se compararmos a balança comercial da nossa região com a brasileira, vemos uma vocação industrial da nossa região, com eletrônicos e equipamentos para a indústria automotiva. A característica de produção da nossa região se assemelha aos países do norte da Europa, como Alemanha, Itália e França. Por isso, que quando olhamos o mapa da balança comercial da nossa região, percebemos que ela destoa bastante do restante do país que têm um foco maior em commodities com a exportação de soja, minério de ferro, milho, açúcar e outros produtos”, explicou.

Marcio avaliou ainda que a queda nas importações o que significa uma queda na atividade industrial. “Esperávamos uma recuperação mais rápida da retomada da atividade. O CIESP Jundiaí está monitorando outros indicadores, como os dados de consumo que têm melhorado na nossa região e no país como um todo, o que pode trazer um pouco mais de otimismo para a nossa economia”, completou.

Principais mercados – No período analisado, os principais destinos das exportações da região de Jundiaí foram Argentina (21,3%), Estados Unidos (16,4%) e Chile (9,2%). Por sua vez, as compras da regional tiveram como principais origens China (32,8%), Alemanha (9,4%) e Estados Unidos (9,1%). Para conferir todos os números da Balança Comercial da Região de Jundiaí, clique aqui.(Da assessoria de imprensa do Ciesp Jundiaí)

VEJA TAMBÉM

ABORTOS RECORRENTES: O NOVO VÍDEO DA GINECOLOGISTA LUCIANE WOOD

OS 103 ANOS DA ESCOLA PROFESSOR LUIZ ROSA

NA FISK DA RUA DO RETIRO TEM CURSO DE LOGÍSTICA

ACESSE O FACEBOOK DO JUNDIAÍ AGORA: NOTÍCIAS, DIVERSÃO E PROMOÇÕES

PRECISANDO DE BOLSA DE ESTUDOS? O JUNDIAÍ AGORA VAI AJUDAR VOCÊ. É SÓ CLICAR AQUI