HARMONIA interior

HARMONIA

Desde que li o artigo do cardeal José Tolentino Mendonça, com o título “Espiritualidade Cristã em Tempo de Isolamento”, no Boletim de Espiritualidade da Ordem dos Carmelitas Descalços em Portugal, trago-o comigo. O cardeal Tolentino comenta sobre a espiritualidade em tempo de pandemia, já que nos encontramos no improviso. Diz ele: “O futuro chegou de supetão, o futuro chegou achando-nos impreparados. Nenhum de nós sabe como lidar com esta situação. Sentimo-nos, todos, mais vulneráveis, mais precários”. Em seguida, conclui que é também um tempo oportuno de silêncio e graça e relembra o que disse o Papa na oração da Praça de São Pedro, em 27 de março: “Não é a pandemia que nos adoeceu; nós já estávamos doentes. A pandemia descobriu, revelou uma doença que são, no fundo, os nossos estilos de vida, onde já não há lugar para o humano, não há lugar para o encontro, não há lugar para o transcendente, não há lugar para uma vida interior rica, digna desse nome, não há lugar para uma oração…” Enfatizou que este é um tempo, embora de grande fragilidade, de escuta espiritual, de descobrir a força da oração e de redescobrir e retrabalhar histórias de amor e encontrar a harmonia interior.

Recordo-me da insistência do padre Márcio Felipe, pároco da Catedral, em suas homilias, a respeito de que a pandemia não pode nos impedir do crescimento espiritual e da busca da santidade. Em uma de suas falas, recentemente, destacou que a Palavra nos exige voltar para a via que Deus traçou para nós e abrir mão da terra sem futuro, cujo percurso nós mesmos projetamos e que o caminho de Jesus foi da coragem que vem do Alto.

Em seu artigo, o cardeal cita a fala de uma grande mística, Etty Hillesum (1914-1943), jovem holandesa judia, muito próxima do cristianismo, que morreu em Auschwitz: “Este tempo em que parece que a nossa alma soçobra, este é o tempo para olhar os lírios do campo”.

Sobre os lírios do campo disse Jesus Cristo (Lucas 12, 27-29. 31): “Olhai como crescem os lírios. Não trabalham, nem fiam. No entanto, eu vos digo: nem Salomão, em toda a sua glória, jamais se vestiu como um só dentre eles. Ora, se Deus veste assim a erva do campo, que hoje existe e amanhã é lançada ao forno, quanto mais não fará convosco, gente de pouca fé. Também vós, não fiqueis ansiosos com o que comer ou beber. Não vos inquieteis! (…) Buscai, pois o seu Reino, e essas coisas vos serão dadas por acréscimo”.

O inesquecível Dom Joaquim Justino Carreira repetia sempre: “Não se perturbe o vosso coração! Credes em Deus, crede também em mim.” (João 14, 1). Foto: www.toquecristao.com.br

MARIA CRISTINA CASTILHO DE ANDRADE

Com formação em Letras, professora, escreve crônicas, há 40 anos, em diversos meios de comunicação de Jundiaí e, também, em Portugal. Atua junto a populações em situação de risco.

VEJA TAMBÉM

ABORTOS RECORRENTES: O NOVO VÍDEO DA GINECOLOGISTA LUCIANE WOOD

OS 103 ANOS DA ESCOLA PROFESSOR LUIZ ROSA

NA FISK DA RUA DO RETIRO TEM CURSO DE LOGÍSTICA

ACESSE O FACEBOOK DO JUNDIAÍ AGORA: NOTÍCIAS, DIVERSÃO E PROMOÇÕES

PRECISANDO DE BOLSA DE ESTUDOS? O JUNDIAÍ AGORA VAI AJUDAR VOCÊ. É SÓ CLICAR AQUI