Se você é fã do Honda Civic e acha que a sua versão esportiva é mais uma daquelas opções “nutela”, que só entregam um visual “agressivo”, com ajuda de faixas e detalhes de acabamento, pode se preparar para conhecer um esportivo de raiz!

Quem não andou nesse canhão pode até sair dizendo por aí que o motor 1.5 turbo é o mesmo da versão Touring, que o Si anterior tinha mais motor…  Lamento decepcionar, mas o novo Si é um presente para quem curte acelerar e colar no banco nas arrancadas.

Forte e nervoso – Se a geração anterior, também importada do Canadá, usava um motor aspirado de 2.4 litros e oferecia 206 cavalos, o novo Si explora o turbo e a injeção direta para despejar 208 cavalos da mais pura diversão aos fãs dos carros mais fortes.

Os 8 cavalos podem parecer um ganho pequeno, mas graças ao novo acerto do motor, que teve a injeção remapeada, a nova geração privilegia o torque, que chega mais cedo e com mais força. Enquanto na versão anterior o torque máximo de 23,9 kgfm chegava às 4.400 rpm, no novo Si ele subiu para 26,5 kgfm e já aparece em 2.100 rpm. Na prática, ao pisar com vontade no acelerador, o motor despeja toda sua força de uma vez e muito rapidamente. É um coice, que faz você colar no banco!

Com o torque chegando mais cedo, o motor ficou mais elástico permitindo esticar mais as marchas e alcançar a máxima maior e mais cedo.

O câmbio, claro, é manual, com seis marchas bem escalonadas e com relações que privilegiam a tocada esportiva.

Como anda mais e com mais força, a Honda não bobeou e deixou a carroceria mais rígida, aumentou o tamanho dos discos de freio dianteiros e traseiros, deixou a suspensão ainda mais firme (dura mesmo), com molas e bandejas mais rígidas(30% a mais na frente e 60% atrás), instalou um diferencial de deslizamento limitado, que acaba com a tendência de sair de frente quando se acelera forte nas curvas. A pilotagem esportiva é favorecida pelo uso de uma direção elétrica progressiva de dois pinhões, com proporções variáveis, e rodas de liga-leve de 18 polegadas calçadas com enormes pneus 235/40 R18.

Modos de condução – Talvez a maior evolução na dirigibilidade e na segurança esteja no uso de amortecedores adaptativos, que mudam a carga (a dureza) ao receberem um impulso elétrico.

Por meio da tecla Sport, localizada no console central, o condutor pode escolher entre dois ajustes de rodagem, que alteram parâmetros de suspensão, acelerador e assistência de direção. No modo Sport, os amortecedores ficam mais firmes, a direção mais pesada e o acelerador responde de forma mais rápida.

Visual atrai olhares e declarações apaixonadas – Em uma semana de avaliação pudemos flagrar diversas manifestações curiosas. No estacionamento de uma pizzaria, o marido cheio de razão fala para a mulher: “Esse é o Civic duas portas que eu te falei…” Outra. Num congestionamento na Marginal Pinheiros, em SP, pelo menos dois motoristas me pediram para baixar o vidro para dizerem que adoravam o carro e para afirmar, sem medo de carregar nos adjetivos, que o Si era um “foguete” e um “canhão”…

O visual reforça ainda mais a vocação esportiva. O Civic Si vem para o Brasil na versão cupê de 2 portas, com um design bem mais invocado que o do sedã.

A traseira curta, a saída única de escape bem no meio do para-choque, as lanternas que percorrem toda a traseira eo aerofólio dão o tom agressivo ao conjunto.

Na dianteira, a grade preta e as entradas de ar maiores, e com desenho diferente das outras versões, deixam o Civic Si com cara de mau.

 

Do lado de dentro os bancos dianteiros mantêm o piloto e o passageiro firmes no lugar, com ressaltos nas laterais que abraçam o corpo. O acabamento, seguindo a cartilha dos esportivos de raiz, não demonstra muita preocupação com o requinte,apenas com o apelo esportivo. Pedais e manopla do câmbio são de alumínio.

Mas nem por isso o conforto é relegado ao segundo plano. O ar-condicionado é digital de duas zonas, o freio de estacionamento tem acionamento elétrico e oferece a opção de manter o carro parado nas subidas sem precisar ficar pressionando o pedal.

A exclusividade de rodar com um carro diferente, que atrai elogios e arranca suspiros, com motor capaz de entregar emoções fortes…  Pois é, às vezes as fortes paixões cobram seu preço…   No caso do Si, até um pouco salgado, não recomendado para aqueles hipertensos que precisam fica longe dos prazeres do sal e sofrem na hora de colocar a mão no bolso. Para ter este esportivo na garagem é preciso desembolsar R$ 159.900.  E aí, vai encarar?©Joaquim Rimoli | AutoMotori 2019

 


Dá para confiar em toda velhinha na hora de comprar o carro?

Com certeza você já ouviu àquela conversa de vendedor: “Ah, pode comprar de olhos fechados! Este carro era de uma velhinha…”  O pessoal da Volks aproveitou para fazer uma brincadeira com esse “papo de vendedor” para mostrar as qualidades e a confiabilidade do Golf.

Com uma proposta institucional, ao contrário do que se poderia imaginar, em lugar de mostrar o novo Golf, os publicitários foram buscar uma versão mais antiga para explorar a confiabilidade do hatch médio.

Curioso? Então divirta-se com esse comercial! ©Joaquim Rimoli | AutoMotori 2019

MAIS TEST DRIVE

COROLLA, SIMPLES E CONFIÁVEL

ACESSE O FACEBOOK DO JUNDIAÍ AGORA! TÁ LEGAL DEMAIS!