Empresários do MAXIME vão investir no ‘social building’

Empresários do Maxime Office Tower(avenida Nove de Julho, 3575), realizarão um ‘social building’ em novembro. O Jundiaí Agora conversou com os organizadores do evento – Adriana De Araujo, André Delvechio e Roseli Santos de Oliveira – para entender como a socialização pode ajudar nos negócios:

O que é o Social Building Maxime?

Fomos inspirados pelo social street da Itália. A ideia é conhecer pessoas que trabalham no Maxime, um dos principais condomínios empresariais de Jundiaí. E conhecer quer dizer: ir além da “pessoa jurídica”. É importante também conhecer a “pessoa física” por meios de alguns eventos e grupos de interesse. Desta forma, socializando, fazendo amigos, a comunicação é facilitada assim como a troca de informações, indicações de trabalho, parcerias e até a melhora na segurança.

Como conhecer melhor seu vizinho pode ajudar nos negócios?

O conhecimento fortalece, em primeiro lugar, o contato sincero e pessoal. A partir daí surgente indicações, trocas de informações, parcerias. Há um ganho de confiança e mais segurança.

Quando Social Building Maxime e onde será realizado?

Faremos eventos presenciais com pequenas palestras e coffee break. O próximo será no dia 9 de novembro, das 16h às 17h30. Será no auditório do próprio Maxime Office Tower.


Em setembro, empresários do Maxime se reuniram. Foi uma prévia para Social Building Maxime, ideia que veio da Itália e certamente fará sucesso no prédio da Nove de Julho

 


Quem poderá participar?

Condôminos proprietários e/ ou locadores de sala, funcionários de condôminos e funcionários do prédio.

Como os interessados em participar devem proceder?

Estamos com as inscrições limitadas até 30 pessoas. Os interessados devem se inscrever pelo email contato@adrianadearaujo.com.br
Qual o formato deste primeiro Social Building Maxime?
Temos um grupo fechado no Facebook para quem é do prédio. É um local inicial para troca troca rápidas de informações, o que facilitará adesões aos eventos e amizade entre os vizinhos. Faremos eventos presenciais para explicar a proposta e as pessoas se conhecerem. Trabalharemos em cinco frentes: grupo de corrida; grupo de idiomas(baseado no grupo poliglotas de São Paulo); grupo de emagrecimento; troca de informações, eventos, trabalho e Clube de Descontos.

Os eventos ocorrerão com qual periodicidade?

Neste primeiro momento dependemos de ter mais pessoas para acessar o interesse da maioria. O restante virá com a interação do grupo. Que acreditamos poder variar de semanal a mensal. E procuraremos inovar sempre…

Quantos empresários são esperados?

Para o grupo online do face o maior número possível de pessoas que estão no prédio.
Os presenciais, por enquanto, trabalharemos temas livres ou do interesse dos participantes iniciais. Isto até acertarmos temas de mais pessoais e profissionais. Para os eventos do Network Social, no auditório, esperamos contar com até 30 participantes por turma.

Os participantes pagarão inscrição ou algo parecido?

Não. Sempre gratuito. Mantemos uma das regras do Social Street italiano que é de não repassar custos.

Na Itália, este conceito é novo?

Sim! Um rapaz que era de Lucca foi morar em Bologna e resolveu conhecer e formar um grupo das pessoas da rua que ele morava. O conceito foi difundido pelo mundo todo.

O que é o Maxime?

É um condomínio de escritórios comerciais, Maxime Office Tower. Encontram-se também no térreo – a Loja Todeschini, Prima Lavanderia, Espaço para Eventos e a La Dolce Cuccina (café)

Há quanto tempo existe este condomínio empresarial? Onde fica?
Foi inaugurado em Janeiro de 2016. fica na avenida Nove de Julho, 3575, Anhangabaú – perto do Jundiaí Shopping.
Quem estiver interessado em locar ou comprar uma sala, como deve proceder?
As salas comerciais são comercializadas por diversas imobiliárias da região, algumas dentro do próprio condomínio, ou direto com proprietários.
O evento do dia 9 tem patrocinadores?
Contamos com o Patrocínio da Valec Renault, que abraçou nossa ideia. Também teremos o apoio da Congelatto e Casa do Confeiteiro para o coffee.
LEIA