MIMOSA, a flor do Dia das Mulheres na Itália. Veja o vídeo

MIMOSA

A professora Quézea Mastelaro conta, no vídeo de hoje, a história do Dia das Mulheres na Itália. Lá, a flor Mimosa é símbolo desta celebração por lá. Entenda os motivos:

QUÉZEA MASTELARO

Doutora e mestre em Língua Italiana pela faculdade de Letras da Universidade de São Paulo (USP). É Bacharel em Direito e desenvolve pesquisas na área do ensino da língua italiana com foco no italiano jurídico. Residiu na Itália por dois anos e fez muitos cursos de aperfeiçoamento do idioma e de didática. Possui certificação CELI (Certificato di conoscenza della lingua italiana) pela Università per Stranieri di Perugia, e frequentou cursos na Scuola Dante Alighieri di Camerino (Italia). Ensina o italiano desde 1996.  Se quiser falar com a professora Quézea: Italia Nostra(@nostrait) – quezea@gmail.com – Whatsapp: (11) 9 9657-6401. Foto: Pixabay.

Mais sobre a data – O Dia Internacional da Mulher é uma data comemorativa que foi oficializada pela Organização das Nações Unidas na década de 1970. Essa data simboliza a luta histórica das mulheres para terem suas condições equiparadas às dos homens. Inicialmente, essa data remetia à reivindicação por igualdade salarial, mas, atualmente, simboliza a luta das mulheres não apenas contra a desigualdade salarial, mas também contra o machismo e a violência.

O Dia Internacional da Mulher existe, enquanto data comemorativa, como resultado da luta das mulheres por meio de manifestações, greves, comitês etc. Essa mobilização política, ao longo do século XX, deu importância para o 8 de março como um momento de reflexão e de luta. A construção dessa data está relacionada a uma sucessão de acontecimentos.

Uma primeira história que ficou muito conhecida como fundadora desse dia narra que, em 8 de março de 1857, 129 operárias morreram carbonizadas em um incêndio ocorrido nas instalações de uma fábrica têxtil na cidade de Nova York. Supostamente, esse incêndio teria sido intencional, causado pelo proprietário da fábrica, como forma de repressão extrema às greves e levantes das operárias, por isso teria trancado suas funcionárias na fábrica e ateado fogo nelas. Essa história, contudo, é falsa e, por isso, o 8 de março não está ligado a ela.

Existe, no entanto, outra história que remonta a um incêndio que de fato aconteceu em Nova York, no dia 25 de março de 1911. Esse incêndio aconteceu na Triangle Shirtwaist Company e vitimou 146 pessoas, 125 mulheres e 21 homens, sendo a maioria dos mortos judeus. Essa história é considerada um dos marcos para o estabelecimento do Dia das Mulheres.

As causas desse incêndio foram as péssimas instalações elétricas associadas à composição do solo e das repartições da fábrica e, também, à grande quantidade de tecido presente no recinto, o que serviu de combustível para o fogo. Além disso, alguns proprietários de fábricas da época, incluindo o da Triangle, trancavam seus funcionários na fábrica durante o expediente como forma de conter motins e greves. No momento em que a Triangle pegou fogo, as portas estavam trancadas.(Fonte: Brasil Escola)

VEJA TAMBÉM

QUEM PODE CONTRAIR O CORONAVÍRUS?

SPEED: NA FISK DA VILA VIRGÍNIA, INGLÊS EM APENAS 18 MESES

SETE DICAS DA ESCOLA PROFESSOR LUIZ ROSA PARA VOCÊ BOMBAR NOS ESTUDOS

ACESSE O FACEBOOK DO JUNDIAÍ AGORA: NOTÍCIAS, DIVERSÃO E PROMOÇÕES

PRECISANDO DE BOLSA DE ESTUDOS? O JUNDIAÍ AGORA VAI AJUDAR VOCÊ. É SÓ CLICAR AQUI