20, setembro , 2018
Home Opinião Comprei novo NOTEBOOK. O que faço com o antigo? (1)

Comprei novo NOTEBOOK. O que faço com o antigo? (1)

Quem já não fez essa pergunta ao comprar um novo notebook? Se o motivo foi memória insuficiente, pode-se pensar em mantê-lo, e usar para outros fins: lidar com textos, ouvir música…tá valendo! Mas e se quebrou mesmo? Aí o destino é o descarte. Tem algum lugar perto? No bairro? Na cidade? Mas, eles retiram? É gratuito? E se não tiver nada disso…como faz?

Bom, para quem está mais envolvido na área ambiental, ou recentemente passou pelos ensinos médio e universitário, já ouviu falar nos 3 R´s: reduzir, reutilizar, reciclar, nessa ordem. Ou seja, reduzir o consumo de embalagens, de produtos de toda ordem, se não for possível, reutilizar para fins diversos da serventia original. Por exemplo, a caixa “K” (de 18 kg, utilizada para transporte de tomates), pode virar, com bom gosto e criatividade, prateleira e nichos de madeira para livros. E como último recurso, a reciclagem, na qual se aproveitam os componentes dessa caixa, usando o mesmo exemplo, as tábuas de madeira aproveitáveis que a compõem, para outro produto ou para fazer novas caixas.

Lei-lixo-eletronico
Crédito: http://bit.ly/2g1qiAN

Voltando ao nosso laptop: o ideal seria que a administração de cada município, na sua gestão, tivesse planejamento para esse tipo de descarte. Detalhe mais que importante: essa previsão não pode estar no apenas no papel, respeitando o grande avanço da Lei nº 12.305 de 5 de agosto de 2010, a Política Nacional de Resíduos Sólidos, a qual obriga-se, em todo território nacional, a dar-se destinação adequada aos resíduos eletroeletrônicos.

Para sabermos do que estamos falando, vamos aos números: de acordo com a Organização das Nações Unidas (ONU), só esse ano de 2017 o mundo deverá descartar ao menos 50 milhões de toneladas de lixo eletroeletrônico, os celulares, laptops, televisores. Não dá nem para imaginar os zeros: uma tonelada são 1000 quilogramas, 50 milhões…uau! A América Latina (América do Sul, América Central e México) foi responsável, em 2014, por 9% do material descartado e, focando no Brasil, registrou-se a quantidade de 1,4 milhão de tonelada para tipo de material, com uma taxa pouco expressiva de destinação correta. Falando o português claro: praticamente tudo para o lixo!!

OUTROS ARTIGOS DE ELIANA CORRÊA AGUIRRE DE MATTOS

OBSERVANDO A NATUREZA: TUDO AO SEU TEMPO

ESTÁTUAS DA ILHA DE PÁSCOA, OBRAS DE HUMANOS OU ET’S

MAPAS, CÓLERA E SIG’S

EM ALGUM LUGAR NA ÍNDIA

PESQUISAS, FOMENTO, PEQUENAS EMPRESAS E MELHORIAS AMBIENTAIS

FRAGILIDADE AMBIENTAL: O CASO DA ILHA DE PÁSCOA

ALIMENTOS ORGÂNICOS E NATURAIS NÃO SÃO A MESMA COISA?

O HIPOPÓTAMO E A PERIGOSA EXPOSIÇÃO AOS AGROTÓXICOS

MODAS CAIPIRAS PARA COMEMORAR O DIA DO AGRICULTOR

MAS O QUE É ESSA TAL DE CERTIFICAÇÃO AMBIENTAL?

OS PAMPAS E A CAMPANHA DA FRATERNIDADE DESTE ANO

ÁGUA E ÁRVORES, A PARCERIA QUE GERA VIDA

A SAÚDE E OS AGROTÓXICOS: UM POUCO DE HISTÓRIA

Portanto se estamos falando em ações próximas de nós, públicas e municipais, um local apenas para recepção, na cidade, de difícil acesso ou a promoção de um dia por ano para recebimento desses resíduos, normalmente no dia 5 de junho, dia do meio ambiente não farão frente, nem por brincadeira, ao desafio que se tem pela frente. Não são com medidas paliativas que se conseguirá refrear o acúmulo desse material, contaminante para o ambiente e para os seres humanos, devido aos componentes como plástico, vidro e especialmente pelos metais pesados contidos em seus mecanismos.

A eficiência da ação e dos resultados requer estratégias públicas entrelaçadas com as várias secretarias e seu pessoal técnico, resultando em ações educativas duradouras e diferenciadas; vários locais, permanentes, distribuídos por toda a cidade; metas para sua multiplicação e melhorias contínuas, sempre decidindo e ajustando com a comunidade nas áreas centrais e nos bairros, nas associações, paróquias etc.

computador-2
Crédito: http://bit.ly/2xPMfwd

Não podendo o poder público arcar com estratégias eficientes, há a iniciativa privada, que com ele poderão fazer parcerias para chegar ao objetivo almejado: tirar de circulação, reciclando ou reusando esse material nocivo.

Iniciativas no Sebrae são bem legais, ensinando o passo-a-passo na abertura de empresas com essa finalidade, olha só: http://bit.ly/2xXFbvg. Acompanha cartilha disponível para download, em .pdf, (file:///C:/Users/Eliana/Downloads/Reciclagem%20de%20lixo%20eletr%C3%B4nico.pdf) tudo bem explicado e inspirador para um negócio lucrativo, que vai ao encontro de metas ambientalmente corretas, socialmente justas e economicamente sustentáveis, o nosso “tripé” da sustentabilidade.

Mas poderia a administração pública fazer essa parceria com outros grupos, pessoas, coletivos? Quem falou em cooperativas, acertou! No próximo artigo traremos experiências bem sucedidas sobre isso.

Para reflexão: e se expandíssemos um pouco a ideia de redução de consumo, acreditando ser possível “driblar” as normas implacáveis do mercado que nos apresentam (e nos impõem) o mais novo, o mais bonito, o mais eficiente, o “mais-mais”? (foto principal: http://istockpho.to/2xSlSG1)


Eliana-Corrêa-Aguirre-de-Mattos-1-1ELIANA CORRÊA AGUIRRE DE MATTOS

Engenheira agrônoma e advogada, com mestrado e doutorado na área de análise ambiental e dinâmica territorial (IG – UNICAMP). Atuou na coordenação de curso superior de Gestão Ambiental, consultoria e certificação em Sistemas de Gestão da qualidade, ambiental e em normas de produção orgânica agrícola.

Facebook Comments

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here

CAPTCHA


  • Termos e condições para publicação de comentários de leitores

    O presente termo tem como objetivo informar as condições para a publicação de comentários em murais e matérias jornalísticas no site Jundiaí Agora, na forma que se passa a expor:

    É vetada a publicação de comentários que:

    • sejam falsos ou infundados;
    • invadam a privacidade de terceiros ou manifestamente os prejudique;
    • promovam racismo contra grupos de minorias ou qualquer forma de fanatismo político ou religioso, discriminando grupos de pessoas ou etnias;
    • violem direitos de terceiros, tais como direitos de propriedade intelectual;
    • tenham conotação publicitária, promocional ou de propaganda, ou, ainda, que demonstrem preferência por alguma empresa ou marca(banners publicitários, vendas on-line, etc);
    • promovam discriminação de qualquer natureza;
    • incitem à violência;
    • explorem medo ou superstição;
    • se aproveitem da deficiência de julgamento e inexperiência das crianças;
    • desrespeitem valores ambientais;
    • apresentem linguagem grosseira, obscena e/ou pornográfica;
    • promovam “correntes” ou “pirâmides” de qualquer espécie;
    • violem a legislação pátria.
    • calúnia, difamação, injúria, ofensa, perturbação da tranquilidade alheia, perseguição, ameaça ou violação de direitos de terceiros;
    • propaganda política para candidatos(partidos ou coligações) e propaganda de seus órgãos ou representantes;
    • páginas e arquivos criptografados/ protegidos por senhas;
    • programas/arquivos que contenham vírus ou qualquer outro código que ponha em risco arquivos;
    • programas ou componentes de computador de usuários que venham a acessar a página do Jundiaí Agora;
    • Todo tipo de pirataria, inclusive de software;
    • O usuário não poderá utilizar-se dos serviços do site desviando a finalidade dele para cometer qualquer atividade ilícita.

    A Rapha.com reserva-se o direito de despublicar (retirar do site) os comentários que não atendam aos padrões sociais, culturais e éticos que regem a matéria.

    Fica estabelecido que o autor do comentário é inteiramente responsável pelo conteúdo nessa havido, quer perante a Rapha.com, quer perante terceiros.

    As opiniões expostas nos comentários não representam as opiniões da Rapha.com/Jundiaí Agora.

    A Rapha.com não se responsabiliza por qualquer dano advindo dos comentários publicados.
    Os usuários do site Jundiaí Agora concordam com as regras contidas neste termo, e desde já autorizam a sua publicação, inclusive nas redes sociais, estando cientes, ainda, que os comentários poderão ser indexados em buscadores nacionais e internacionais, assim como os conteúdos a que estão vinculados.

    Facebook Comments
  • Termos e condições para publicação de comentários de leitores

    O presente termo tem como objetivo informar as condições para a publicação de comentários em murais e matérias jornalísticas no site Jundiaí Agora, na forma que se passa a expor:

    É vetada a publicação de comentários que:

    • sejam falsos ou infundados;
    • invadam a privacidade de terceiros ou manifestamente os prejudique;
    • promovam racismo contra grupos de minorias ou qualquer forma de fanatismo político ou religioso, discriminando grupos de pessoas ou etnias;
    • violem direitos de terceiros, tais como direitos de propriedade intelectual;
    • tenham conotação publicitária, promocional ou de propaganda, ou, ainda, que demonstrem preferência por alguma empresa ou marca(banners publicitários, vendas on-line, etc);
    • promovam discriminação de qualquer natureza;
    • incitem à violência;
    • explorem medo ou superstição;
    • se aproveitem da deficiência de julgamento e inexperiência das crianças;
    • desrespeitem valores ambientais;
    • apresentem linguagem grosseira, obscena e/ou pornográfica;
    • promovam “correntes” ou “pirâmides” de qualquer espécie;
    • violem a legislação pátria.
    • calúnia, difamação, injúria, ofensa, perturbação da tranquilidade alheia, perseguição, ameaça ou violação de direitos de terceiros;
    • propaganda política para candidatos(partidos ou coligações) e propaganda de seus órgãos ou representantes;
    • páginas e arquivos criptografados/ protegidos por senhas;
    • programas/arquivos que contenham vírus ou qualquer outro código que ponha em risco arquivos;
    • programas ou componentes de computador de usuários que venham a acessar a página do Jundiaí Agora;
    • Todo tipo de pirataria, inclusive de software;
    • O usuário não poderá utilizar-se dos serviços do site desviando a finalidade dele para cometer qualquer atividade ilícita.

    A Rapha.com reserva-se o direito de despublicar (retirar do site) os comentários que não atendam aos padrões sociais, culturais e éticos que regem a matéria.

    Fica estabelecido que o autor do comentário é inteiramente responsável pelo conteúdo nessa havido, quer perante a Rapha.com, quer perante terceiros.

    As opiniões expostas nos comentários não representam as opiniões da Rapha.com/Jundiaí Agora.

    A Rapha.com não se responsabiliza por qualquer dano advindo dos comentários publicados.
    Os usuários do site Jundiaí Agora concordam com as regras contidas neste termo, e desde já autorizam a sua publicação, inclusive nas redes sociais, estando cientes, ainda, que os comentários poderão ser indexados em buscadores nacionais e internacionais, assim como os conteúdos a que estão vinculados.

    Facebook Comments