PENTE-FINO na Prefeitura está só começando, diz Luiz Braz

pente-fino

Enquanto Jundiaí e Itupeva reelegeram seus prefeitos, respectivamente Luiz Fernando Machado e Marco Marchi; Várzea escolheu o indicado de Juvenal Rossi, o professor Rodolfo Braga, Campo Limpo Paulista e Jarinu optaram por mudar os chefes dos Executivos. Débora Prado, que agora comanda a Prefeitura de Jarinu prometeu consertar o que está errado e punir os responsáveis. Contudo, não fará uma caça às bruxas. Já o sucessor de Japim Andrade, em Campo Limpo, começou o mandato fazendo uma verdadeira devassa. E avisa: o pente-fino está apenas começando. O novo prefeito, Luiz Braz – que já comandou a cidade por oito anos – mandou os dados considerados irregulares para a Câmara. Andrade nega as acusações. Por conta do subsídio que concedeu à Rápido Luxo Campinas, Japim teve os direitos políticos cassados. Enfim, no que se trata de herança política, Campo Limpo Paulista é a cidade que tem a situação mais tumultuada na região. O Jundiaí Agora entrevistou Luiz Braz:

Quais as áreas da Prefeitura que passaram pelo pente-fino da nova administração no total?

Todas as áreas. Temos mais de 30 contratos em análise por uma comissão jurídica que incluem os mais diversos serviços.

De forma rápida, poderia descrever os problemas mais graves encontrados até agora pelo pente-fino?

O maior problema mesmo neste momento são as dívidas a curto prazo – restos a pagar, Pasep e principalmente, INSS. Elas somam mais de R$ 20 milhões e devem ser pagas até abril porque a Prefeitura não está recebendo o FPN (Fundo de Participação dos Municípios) por falta de certidão negativa de débitos com a Previdência, entre outros. Há também a dívida a longo prazo que ultrapassa o valor de R$ 40 milhões. No início do ano recebemos um relatório financeiro que havia em caixa mais de R$ 19 milhões, mas na apuração, não passava de R$ 5 milhões. Essa não foi a primeira surpresa: conseguimos recuperar R$ 340 mil em medicamento de uma compra feita dia 29 de dezembro de 2020 e pagos no dia seguinte, que não foram entregues. Mas diversos serviços não foram feitos e constam como pagos. Citando por exemplo pagamento para empresa responsável pela Creche do bairro Santa Lúcia que estava fechada, manutenção de estrada de terra que não foi feita e até aula de natação on-line. Valores que faltaram na manutenção da cidade, no acesso da população aos serviços públicos, etc.
Nossos gestores apresentaram tudo isso na Câmara Municipal, mostrando departamentos cheios de lixo, maquinário quebrado e muitas irregularidades. Os absurdos maiores, porém, estão mesmo nos contratos firmados e pagamentos injustificados.

Estas questões referem-se aos quatro anos da administração passada ou somente ao ano passado?

Neste momento estamos analisando os contratos em vigência, em todos os setores. Avaliando preços praticamos e a legitimidade da licitação. A partir daí, tomaremos as medidas jurídicas necessárias, internas e externas.

Pretendem ir mais a fundo, buscando informações dos três anos anteriores?

O pente-fino nos dará essa resposta.

Com os números encontrados até agora, qual é o prejuízo da Prefeitura de Campo Limpo?

Na verdade, desde o início da nossa gestão não houve prejuízo e sim cuidado, zelo com o dinheiro público. O quanto vamos economizar com os contratos, após essa auditoria, ainda está sendo levantado. Mas podemos citar, por exemplo, a troca da Organização Social (OS) do hospital.
O hospital passou por uma troca de empresa que nos garantiu uma economia que pode chegar a R$ 7 milhões em seis meses e com melhores serviços, como Ultrassom, Ortopedista 12h/dia, Tomografia mais moderna, cozinha e muitos outros serviços com melhorias. Mais uma vez para exemplificar uma refeição no São Vicente em Jundiaí para funcionário custa R$ 1 e aqui o preço era R$ 17.

Com este dinheiro daria para fazer o quê?

Apenas com o dinheiro do hospital daria para pavimentar um bairro, por exemplo, ou fazer o recapeamento de várias ruas. Construir um parque, levar atividades esportivas para bairros…muita coisa.

O pente-fino já acabou?

Na verdade, o pente-fino apenas começou. Cada contrato analisado deverá ter um parecer dessa comissão jurídica para que se houver qualquer irregularidade detectada, os valores sejam ressarcidos aos cofres públicos.

O que farão com todos as informações que apontam para irregularidades cometidas pela gestão anterior? Denunciar à Justiça? Quando?

Aquilo que encontrarmos definirá o encaminhamento. Mas claro que tudo depende de uma apuração concreta. Não podemos fazer nenhuma acusação e não nos cabe esse papel. Estamos apurando e caso encontremos essas irregularidades, quem decidirá, posteriormente será o Ministério Público.

Pelo que a nova administração observou até agora, Campo Limpo regrediu?

Sim, entendo que houve um retrocesso em todos os setores da administração. Isso já tínhamos consciência desde antes de estarmos na prefeitura, antes do período de transição. Em momento nenhum esperávamos uma situação confortável no início da administração, tínhamos vários índices que revelavam o panorama caótico de Campo Limpo Paulista e muitas dificuldades. Temos uma equipe muito técnica e força de vontade para fazer acontecer. Acho que conseguimos juntar esses elementos e começar esse trabalho. Mas o cenário que encontramos é muito pior do que aquele que imaginávamos principalmente com relação aos prédios se equipamentos públicos. A transição não foi bem feita, não tivemos acesso à dura realidade interna da Prefeitura. A falta de cuidado nas ruas era a mesma dentro da Prefeitura. Os departamentos estão sujos, sucateados.

O primeiro mandato do senhor começou em 1997. Hoje, a situação da cidade é igual, melhor ou pior a que ele encontrou naquela época?

É um desafio tão grande quanto em 1997 e garanto à população que me sinto tão estimulado quanto antes. Precisamos de recursos para mudar Campo Limpo Paulista. Ninguém aqui está parado. Temos visitado deputados, secretarias do governo estadual para trazer recursos para a cidade. A gente precisa desses recursos para atender coisas importantes, entre eles podemos citar a marginal, um trabalho que não depende de uma única cidade, depende de uma parceria no aglomerado urbano. O asfalto é apenas um desses desafios, assim como é a saúde e o transporte.
É pouco tempo ainda, mas estamos trabalhando para todas essas mudanças acontecerem. Só teremos uma cidade melhor cuidando da nossa gente, ajudando quem precisa, dando uma educação de qualidade, oferecendo cursos de capacitação perto de casa, fazendo parcerias. Já falamos com muitas entidades e estamos em busca de auxilio para oferecer oportunidades para nossa população, principalmente para os jovens. Teremos muitas novidades nas próximas semanas com projetos muito importantes, pedidos por todos há bastante tempo. Nossa prioridade é o nosso cidadão e para ele que trabalhamos. Nos postos de saúde, os exames feitos sem agendamento e consultas marcadas todos os dias. Ações simples eu mudaram a vida de todos. Vamos conseguir mudar essa cidade com muito trabalho.

VEJA TAMBÉM

CONTROLE DE PESO E ALIMENTAÇÃO PARA GESTANTES. ASSISTA A MAIS UM VÍDEO DA GINECOLOGISTA LUCIANE WOOD

ACESSE O FACEBOOK DO JUNDIAÍ AGORA: NOTÍCIAS, DIVERSÃO E PROMOÇÕES

PRECISANDO DE BOLSA DE ESTUDOS? O JUNDIAÍ AGORA VAI AJUDAR VOCÊ. É SÓ CLICAR AQUI