PLANO MUNICIPAL: Prefeitura fará diagnóstico da população idosa

plano municipal

Na sessão do último dia 10, os vereadores de Jundiaí votaram e aprovaram, em primeiro turno, emenda à Lei Orgânica que prevê estímulo às medidas de atendimento e amparo aos idosos. Na justificativa, o autor da proposta, Cristiano Lopes, alerta para o envelhecimento da população da cidade. A Prefeitura, por sua vez, já se antecipou e fará um diagnóstico dos moradores idosos. Com os dados deste relatório será criado um plano municipal.

Na justificativa da proposta, Lopes afirma que Jundiaí possui ótimos indicadores sociais e econômicos, por essa razão é uma das melhores cidades para se viver no Brasil. “Por essa razão, a cidade precisa se atentar ao Índice de Envelhecimento, da Fundação Seade 2019, que em Jundiaí alcançou a marca de 94,43%, muito superior aos 78,13% do Estado. Além disso, de acordo com essa mesma Fundação, Jundiaí possui 16,68% da população com idade igual ou superior a 60 anos de idade, índice maior do que os 14,86% do Estado”.

Questionada sobre a situação dos idosos da cidade, a Unidade de Gestão de Assistência e Desenvolvimento Social (UGADS) informou que o Conselho Municipal de Direitos da Pessoa Idosa (Comdipi), aprovou a contratação de empresa para realização de diagnóstico no Município, a fim de identificar número, concentração e outros aspectos referentes ao idoso no Município, e que culminará com a construção de um Plano Municipal. Não há informação, ainda, de quando a pesquisa será realizada e estimativa para implantação do Plano Municipal para pessoas idosas.

Mais números e ações – Segundo a estatística do Seade citada pelo vereador, a Prefeitura explicou que Jundiaí possui mais de 67 mil habitantes com idade superior a 60 anos. Entre os 645 municípios paulistas, Jundiaí é um dos três municípios contemplados pelo Selo Pleno do programa estadual SP Amigo do Idoso, concedido pela Secretaria Estadual de Desenvolvimento Social por conta de boas práticas e políticas públicas voltadas à população idosa.

Já acerca dos serviços e programas voltados aos idosos, sob coordenação da UGADS, até antes do início da pandemia, cerca de 700 idosos participavam, semanalmente, das atividades e oficinas diversas realizadas no Centro de Referência do Idoso (Criju), no Complexo Argos, e outros cerca de 300 no Centro de Convivência do Idoso (CCI), na Cidade Administrativa.

Pelo Criju Itinerante, realizado em parceria da UGADS com o Conselho Municipal de Direitos da Pessoa Idosa (Comdipi) como proposta de descentralizar a oferta dos serviços, cerca de mil idosos participavam das atividades e bailes oferecidos em 14 bairros pelo Município.

Pelos Serviços de Convivência e Fortalecimento de Vínculos (SCFV), a Prefeitura custeia ainda vagas para atividades diversas desenvolvidas por Organizações da Sociedade Civil (OSC) nos Centros de Referência de Assistência Social (Cras) Novo Horizonte e Santa Gertrudes.

Já pela modalidade Centro Dia, em que o idoso permanece somente das 8h às 17h durante os dias da semana no serviço, a Prefeitura, por meio da UGADS, mantém 30 vagas na Cidade Vicentina.

Pela modalidade Instituição de Longa Permanência para Idoso (ILPI), a Prefeitura custeia ainda 32 vagas também na Cidade Vicentina e outras 43 no Lar Nossa Senhora das Graças, todas voltadas a idosos em situação de vulnerabilidade.

Pelos Centros de Referência de Assistência Social (Cras), são também feitos o atendimento com assistentes e psicólogos sociais e o encaminhamento para benefícios federais, como o Benefício de Prestação Continuada (BPC). Atualmente há cerca de dois mil idosos em Jundiaí que recebem esse benefício.

Há ainda mais 16 na Vila Dignidade no Jardim Tamoio, e 22 vagas para idosos residirem na Vila do Idoso no Fazenda Grande (esta última sob responsabilidade da Fumas).

Convivência e bem-estar – De acordo com a Unidade de Gestão, existem também projetos com o objetivo de fortalecer e ampliar programas que contemplem participação dos idosos nas atividades de esporte e lazer, como o JOGOS +60, que busca estimular e valorizar a prática esportiva como fator de promoção de saúde e bem‐estar, assim como a aquisição de um estilo de vida ativo e saudável e o convívio social para pessoas com 60 anos ou mais.

Além disso, a cidade conta com a oferta de uma programação permanente de atividades para o idoso e demais interessados nos Centros Esportivos, permitindo a convivência, bem‐estar e hábitos saudáveis de vida admitidos através do esporte, distribuídos em todas as regiões do município.

Ainda está em curso, junto a Unidade de Gestão de Educação (UGE), projeto de voluntariado e protagonismo da pessoa idosa nas unidades de Ensino Fundamental, buscando a promoção da intergeracionalidade.

Embora esteja preparando um Plano Municipal, Jundiaí já conta com a Assessoria de Políticas para o Idoso, que promove a articulação entre o poder público e a sociedade civil para com ações e iniciativas que visem a valorização e dignidade em políticas e direitos da pessoa idosa. “No decorrer dos próximos anos, novas ações serão estudadas e implantadas em benefício dessa população”, conclui a Unidade de Gestão.

VEJA TAMBÉM

DEPRESSÃO NA MENOPAUSA: VEJA VÍDEO DA GINECOLOGISTA LUCIANE WOOD

ACESSE O FACEBOOK DO JUNDIAÍ AGORA: NOTÍCIAS, DIVERSÃO E PROMOÇÕES

PRECISANDO DE BOLSA DE ESTUDOS? O JUNDIAÍ AGORA VAI AJUDAR VOCÊ. É SÓ CLICAR AQUI