PRESIDENTE da UIPA cobra ações do Debea na recolha de cães

A presidente da UIPA Jundiaí, Carmela Panizza, diante da chegada de dois cachorros à instituição (foto acima), cobrou ações do Departamento de Bem Estar Animal – Debea – órgão ligado à Prefeitura na recolha de animais abandonados.

Ela contou que cães foram deixados em uma casa do centro, após os moradores serem presos pela Polícia Civil. Vizinhos viram que os cachorros estavam com fome e os levaram à UIPA.

“Eu tenho ordens do Ministério Público de não mais receber animais. Liguei para o Debea (Departamento de Bem Estar Animal) e falaram que eles não fazem este tipo de serviço. Eu sei disto. Mas então por que criaram o Debea que é pago pelo cidadão, está cheio de funcionários e não recolhem cachorros?”, perguntou ela.

Hoje, a UIPA Jundiaí cuida de 300 animais. A capacidade ideal seria de 150. “A nossa grande dificuldade é a despesa com manutenção, castação, limpeza e veterinário. Nosso custo mensal é de R$ 30 mil. E não contamos com ajuda de ninguém. Só dos associados”, concluiu.

Resposta – A Prefeitura de Jundiaí foi questionada e respondeu o seguinte:  o Departamento de Bem Estar Animal (Debea) cuja sede fica no Parque Centenário, oferta atendimento veterinário, com acolhimento somente em casos de animais feridos com risco de morte.

Desde a sua concepção, o órgão presta serviços relacionados a atendimentos veterinários e exames, castrações, conscientização para adoção e microchipagem, além de trabalhos educacionais em escolas sobre a guarda responsável. É importante destacar que o abandono e maus tratos a animais são crimes.

Somente no ano passado, o Debea ampliou o atendimento em 10% em relação ao que foi ofertado nos anos anteriores, tanto em castrações como nos demais atendimentos, inclusive para os animais de pessoas de baixa renda ou em vulnerabilidade social. Para este ano, a meta é ampliar, no mínimo em 33% o número de castrações. O espaço está em reforma para melhoria na qualidade das instalações para atender cães e gatos, incluindo a adequação do centro cirúrgico do prédio.

Somente no ano passado foram realizadas atividades em oito unidades escolares, com mais de 1,1 mil alunos atendidos. Neste ano, a equipe aguarda a definição do calendário de atividades das escolas para iniciar o trabalho de formação educacional infantil.