21, março , 2019
Home Brasil e Mundo Presídios não podem ser MASMORRAS, diz governador do RJ

Presídios não podem ser MASMORRAS, diz governador do RJ

O governador do Rio de Janeiro, o jundiaiense Wilson Witzel (PSC-foto ao lado), defendeu hoje (7) que os presídios do estado sejam capazes de devolver presos ressocializados à sociedade e afirmou que as prisões não podem ser masmorras. A afirmação ocorreu durante participação na cerimônia de posse do defensor-geral do estado, Rodrigo Pacheco.

“Presídio não pode ser masmorra. Tem que ser um ambiente em que a gente devolva pra sociedade gente melhor do que entrou lá. Não pode ser escritório do crime nem ambiente de conveniência de facções.”

Rodrigo Pacheco foi o mais votado entre os defensores públicos e teve sua nomeação confirmada pelo governador. No passado, Witzel também defensor público do estado antes de assumir como juiz federal.

Ao analisar a situação do sistema prisional, Witzel pediu apoio da Defensoria Pública para solucionar o excesso de presos provisórios no estado e afirmou que é preciso fazer uma ação concentrada nesse sentido.

“Temos 51 mil presos, dos quais quase 20 mil são presos provisórios. É preciso resolver essa questão”, disse Witzel, que pretende construir mais vagas para acomodar a população carcerária do Rio de Janeiro. “Não podemos ter os presídios com a situação que hoje é vivenciada. O papel do estado é fazer com que o sistema de segurança pública funcione como um todo.”

Witzel retomou a defesa da proposta de que criminosos armados com fuzil precisam ser mortos. Para ele, um criminoso portando um armamento desse tipo seria imediatamente “abatido”, se estivesse no Shopping Leblon, bairro nobre da cidade. “Não ande com fuzil, você vai morrer”, disse o governador.

Segundo o governador, não pode haver “dois pesos e duas medidas” no tratamento de criminosos. De acordo com ele, a ordem vale tanto para as áreas nobres como também para as mais carentes.

Questionado sobre a proposta do governador, Rodrigo Pacheco afirmou que cada situação será avaliada a partir de casos concretos. “Você pode usar os meios, moderadamente, que estejam à sua disposição para repelir uma agressão que esteja acontecendo ou prestes a acontecer”, disse.

Na semana passada, o governador defendeu a criação do “nosso Guantánamo” para traficantes de drogas, que ele vem classificando como narcoterroristas desde seu discurso de posse.

Para o defensor-geral recém-empossado, os problemas no sistema prisional passam por uma rediscussão da política sobre drogas, que, na visão dele, leva a um super encarceramento por prender réus primários com pequenas quantidades de substâncias ilícitas.

“A gente vive em uma epidemia de encarceramento. Nunca se prendeu tanto e nunca se teve índices de violência tão grandes. A defensoria entende que a segurança pública passa pelo aprisionamento racional.”

Rodrigo Pacheco sucede André de Castro, que esteve dois biênios à frente do órgão. Segundo Pacheco, sua gestão será pautada pelo diálogo, transparência e eficiência e disse que vai investir em pesquisa e comunicação, além de manter a aproximação com movimentos sociais e favelas. De acordo com ele, a disposição é para ocupar 70% dos cargos com mulheres, pois representam dois terços do total de defensores no Rio de Janeiro. Fonte: Agência Brasil

LEIA TAMBÉM

PREFEITURA DE JARINU PAGARÁ RESTANTE DOS SALÁRIOS NESTE DIA 15

  • Termos e condições para publicação de comentários de leitores

    O presente termo tem como objetivo informar as condições para a publicação de comentários em murais e matérias jornalísticas no site Jundiaí Agora, na forma que se passa a expor:

    É vetada a publicação de comentários que:

    • sejam falsos ou infundados;
    • invadam a privacidade de terceiros ou manifestamente os prejudique;
    • promovam racismo contra grupos de minorias ou qualquer forma de fanatismo político ou religioso, discriminando grupos de pessoas ou etnias;
    • violem direitos de terceiros, tais como direitos de propriedade intelectual;
    • tenham conotação publicitária, promocional ou de propaganda, ou, ainda, que demonstrem preferência por alguma empresa ou marca(banners publicitários, vendas on-line, etc);
    • promovam discriminação de qualquer natureza;
    • incitem à violência;
    • explorem medo ou superstição;
    • se aproveitem da deficiência de julgamento e inexperiência das crianças;
    • desrespeitem valores ambientais;
    • apresentem linguagem grosseira, obscena e/ou pornográfica;
    • promovam “correntes” ou “pirâmides” de qualquer espécie;
    • violem a legislação pátria.
    • calúnia, difamação, injúria, ofensa, perturbação da tranquilidade alheia, perseguição, ameaça ou violação de direitos de terceiros;
    • propaganda política para candidatos(partidos ou coligações) e propaganda de seus órgãos ou representantes;
    • páginas e arquivos criptografados/ protegidos por senhas;
    • programas/arquivos que contenham vírus ou qualquer outro código que ponha em risco arquivos;
    • programas ou componentes de computador de usuários que venham a acessar a página do Jundiaí Agora;
    • Todo tipo de pirataria, inclusive de software;
    • O usuário não poderá utilizar-se dos serviços do site desviando a finalidade dele para cometer qualquer atividade ilícita.

    A Rapha.com reserva-se o direito de despublicar (retirar do site) os comentários que não atendam aos padrões sociais, culturais e éticos que regem a matéria.

    Fica estabelecido que o autor do comentário é inteiramente responsável pelo conteúdo nessa havido, quer perante a Rapha.com, quer perante terceiros.

    As opiniões expostas nos comentários não representam as opiniões da Rapha.com/Jundiaí Agora.

    A Rapha.com não se responsabiliza por qualquer dano advindo dos comentários publicados.
    Os usuários do site Jundiaí Agora concordam com as regras contidas neste termo, e desde já autorizam a sua publicação, inclusive nas redes sociais, estando cientes, ainda, que os comentários poderão ser indexados em buscadores nacionais e internacionais, assim como os conteúdos a que estão vinculados.

  • Termos e condições para publicação de comentários de leitores

    O presente termo tem como objetivo informar as condições para a publicação de comentários em murais e matérias jornalísticas no site Jundiaí Agora, na forma que se passa a expor:

    É vetada a publicação de comentários que:

    • sejam falsos ou infundados;
    • invadam a privacidade de terceiros ou manifestamente os prejudique;
    • promovam racismo contra grupos de minorias ou qualquer forma de fanatismo político ou religioso, discriminando grupos de pessoas ou etnias;
    • violem direitos de terceiros, tais como direitos de propriedade intelectual;
    • tenham conotação publicitária, promocional ou de propaganda, ou, ainda, que demonstrem preferência por alguma empresa ou marca(banners publicitários, vendas on-line, etc);
    • promovam discriminação de qualquer natureza;
    • incitem à violência;
    • explorem medo ou superstição;
    • se aproveitem da deficiência de julgamento e inexperiência das crianças;
    • desrespeitem valores ambientais;
    • apresentem linguagem grosseira, obscena e/ou pornográfica;
    • promovam “correntes” ou “pirâmides” de qualquer espécie;
    • violem a legislação pátria.
    • calúnia, difamação, injúria, ofensa, perturbação da tranquilidade alheia, perseguição, ameaça ou violação de direitos de terceiros;
    • propaganda política para candidatos(partidos ou coligações) e propaganda de seus órgãos ou representantes;
    • páginas e arquivos criptografados/ protegidos por senhas;
    • programas/arquivos que contenham vírus ou qualquer outro código que ponha em risco arquivos;
    • programas ou componentes de computador de usuários que venham a acessar a página do Jundiaí Agora;
    • Todo tipo de pirataria, inclusive de software;
    • O usuário não poderá utilizar-se dos serviços do site desviando a finalidade dele para cometer qualquer atividade ilícita.

    A Rapha.com reserva-se o direito de despublicar (retirar do site) os comentários que não atendam aos padrões sociais, culturais e éticos que regem a matéria.

    Fica estabelecido que o autor do comentário é inteiramente responsável pelo conteúdo nessa havido, quer perante a Rapha.com, quer perante terceiros.

    As opiniões expostas nos comentários não representam as opiniões da Rapha.com/Jundiaí Agora.

    A Rapha.com não se responsabiliza por qualquer dano advindo dos comentários publicados.
    Os usuários do site Jundiaí Agora concordam com as regras contidas neste termo, e desde já autorizam a sua publicação, inclusive nas redes sociais, estando cientes, ainda, que os comentários poderão ser indexados em buscadores nacionais e internacionais, assim como os conteúdos a que estão vinculados.