Márcia Pará acusa Justiça Eleitoral: seção sumiu. TRE alega ‘agregação’

SEÇÃO
Boletim printado às 11h49 de ontem(19): sem a zona 4

Entre os 13 candidatos que concorreram ao cargo de prefeito de Jundiaí no último domingo(15), Márcia Pará, do Democracia Cristã(DC), ficou em 10º lugar. Ela teve 2.088 votos(1,08%). De acordo com ela, o boletim de urna saiu na noite de quarta-feira(18) sem a seção onde ela própria votou. Márcia votou na EE Conde do Parnaíba, na sessão 004. A ex-candidata foi orientada a fazer uma denúncia na Polícia Federal, em São Paulo. Também afirmou que fará uma representação ao TSE. O Jundiaí Agora entrou em contato com as assessorias de imprensa do TRE e Tribunal Superior Eleitoral. O tribunal de São Paulo respondeu que “A seção 004 da Zona Eleitoral 424 de Jundiaí foi agregada à seção 003, também da 424 Zona Eleitoral. A informação consta no boletim de urna com a indicação de “seção agregada”. Ou seja, houve fusão de seções, segundo a Justiça Eleitoral. A resposta do TRE deixou Márcia Pará ainda mais contrariada: “teriam de deixar a informação disponível no site de que houve a fusão. A seção não foi agregada e eles(TRE) não têm como provar”, acusou.

Em 7 de outubro, o Tribunal Superior Eleitoral divulgou nota informando que no dia seguinte acabaria “o prazo para a realização de agregação de seções pelas zonas eleitorais nos municípios onde serão realizadas as Eleições Municipais 2020. Segundo o artigo 14, parágrafo 1º, da Resolução TSE nº 23.611/2019, os tribunais regionais eleitorais poderão determinar a agregação de, no máximo, 20 seções eleitorais, visando à racionalização dos trabalhos eleitorais, desde que não importe prejuízo ao exercício do voto”.

Márcia denunciou, nas redes sociais, o suposto desaparecimento da seção. “Queridos amigos e apoiadores, agora eu tenho certeza que vocês não mentiram e realmente votaram em mim. Ontem a noite(18) saiu o boletim de urna, e adivinhem! Meu voto desapareceu. Justo comigo aconteceu isso. Se antes eu tinha alguma dúvida da fraude nesta eleição, agora eu tenho certeza! Vou entrar na justiça. Roubaram meu voto! O TSE não quer admitir que errou com a gente. Eu fui candidata a prefeita e o meu próprio voto desapareceu. Eu quero Justiça”, disse ela em uma postagem. Em outra, ela publicou o comprovante de votação(acima).

De acordo com Márcia, a publicação nas redes sociais também levou os eleitores dela a procurar os boletins de urna. “Vários disseram que os votos deles em mim tinham desaparecido. Muitas destas pessoas estavam chorando. As seções deles, assim como a minha, não aparecem nos relatórios. Estes eleitores ficaram indignados e querem depor a meu favor. Isto é um crime grave. Eu tenho direito de saber o que fizeram com os meus votos”, explicou.

A ex-candidata explicou que existe um grupo de pessoas em todo país que passa pela mesma situação e está se mobilizando para exigir uma resposta do TSE. “Em Tocantins há um movimento pelo cancelamento das eleições. O meu partido, o DC, talvez deverá fazer o mesmo. Aqui em Jundiaí existem candidatos a vereador, de outros partidos inclusive, que estão com o mesmo problema. Mas eu fui candidata a prefeita. Isto é surreal”, concluiu.

VEJA TAMBÉM

SAIBA TUDO SOBRE PREVENÇÃO DE CORRIMENTOS VAGINAIS COM A GINECOLOGISTA LUCIANE WOOD

FISK DA RUA DO RETIRO: SAIBA O QUE SÃO QUESTIONS WORDS. CLIQUE AQUI

OS 103 ANOS DA ESCOLA PROFESSOR LUIZ ROSA

ACESSE O FACEBOOK DO JUNDIAÍ AGORA: NOTÍCIAS, DIVERSÃO E PROMOÇÕES

PRECISANDO DE BOLSA DE ESTUDOS? O JUNDIAÍ AGORA VAI AJUDAR VOCÊ. É SÓ CLICAR AQUI