O site da Prefeitura de Jundiaí e as mídias sociais do Executivo estão divulgando, desde agosto, vídeos intitulados ‘Você Precisa Saber’, protagonizados por um adolescente muito parecido com Daniel Radcliffe, o ator que interpretou Harry Potter. Mas o que é preciso saber de verdade é que a tal produção é bancada de forma parecida com a que resultou em uma ação do Ministério Público no final da administração passada. A checagem é possível através dos balanços divulgados trimestralmente na Imprensa Oficial e que parecem terem sido planejados para não serem compreendidos (tabela abaixo – entre as fotos com as inscrições “Prefeitura” e “Casa do Povo” – publicada na Imprensa Oficial do dia 28 de julho). Mas, a última coluna do item ‘Publicidade Legal’ mostra o montante parcial de quase R$ 275 mil e o total de R$ 1.530 milhão. O detalhe é que segundo a própria assessoria de imprensa da Prefeitura, a pequena fortuna é dividida entre a agência Eurofort, que produz os programas, e apenas um veículo de comunicação da cidade, o Jornal da Região. O balanço, segundo fontes da Prefeitura, não mostra quanto fica para cada um porque a lei não exigiria a divulgação deste detalhe.

O projeto Você Precisa Saber promove, de acordo com a resposta oficial do Executivo, “conteúdo de relevância pública dentro de linguagem e plataforma de interesse para diferentes segmentos e faixa etária de Jundiaí, principalmente entre os jovens”. Quanto à questão de idade, os vídeos tentam realmente ser moderninhos, com efeitos especiais e o apresentador fazendo gracinhas que aparentam ser, na maioria das vezes, bem forçadas. O primeiro foi exibido no dia 16 de agosto e o último, no dia 18 deste mês. Como os vídeos não identificam o ator e também não dizem o nome da produtora, o internauta é levado a imaginar que a produção é da própria Prefeitura de Jundiaí. Até porque, as imagens acabam com o brasão do município.

IVAN 2

Os vídeos, conforme a assessoria de imprensa da Prefeitura “são veiculados nas redes sociais institucionais do governo e também como peça publicitária na mídia social do veículo de comunicação Jornal da Região”. Uma contradição se a primeira resposta for analisada mais a fundo. Se o material produzido pela Eurofort é de relevância pública teria de ser divulgado para o público em geral e não para o público de um veículo específico. Se a questão – ainda conforme a primeira resposta – é inserir o vídeo em uma plataforma de interesse, a internet no caso, Jundiaí atualmente conta com vários sites que produzem conteúdo relevante. Para ficar só nos mais novos: Tudo.com.vc, Tribuna de Jundiaí, RS Notícias, Jundiaqui, Novo Dia e muitos outros. O Jundiaí Agora permite-se ficar fora da lista já que compreende sinais de fumaça vistos de longe. Como foram enviados recados de que o ‘JA é de esquerda’ por publicar artigos do ex-prefeito Bigardi, entende-se que alguns tucanos torcem o nariz para esta publicação. 

É preciso salientar que uma empresa jornalística é como outra qualquer. Precisa de dinheiro para sobreviver. Se o Jornal da Região foi escolhido pela Prefeitura de Jundiaí como a plataforma ideal para divulgar o Você Precisa Saber, sorte de seus proprietários. A questão é entender o porquê e como funciona a lógica das coisas nos gabinetes do Paço Municipal. Se o interesse é realmente atingir diferentes segmentos, em especial os jovens, esqueçam tudo o que foi escrito acima. Nenhum destes sites, inclusive o que vem veiculando os programas do Harry Potter da Prefeitura, é da preferência dos adolescentes.

Por outro lado, mesmo com as tentativas do ator em tratar assuntos sérios de forma engraçadinha, dá para contar – literalmente – quantos garotos e garotas viram a produção na plataforma que realmente gostam de acessar, o Youtube. No canal da Prefeitura, o Você Precisa Saber é um grande fiasco. O episódio abaixo, que fala de como funciona o poder Executivo, foi o mais visto. Exatas 192 pessoas acessaram o vídeo até ontem. O menos visto tratou de Saúde: 60 visualizações.

Então, fica a pergunta: onde está a pesquisa que prova que o veículo escolhido é o preferido dos jovens? Ou ainda: já que a atual administração vive dizendo que a anterior deixou pilhas de dívidas e que não tem dinheiro, por que pagar pela publicação de conteúdo relevante? Se é mesmo relevante, os veículos de comunicação da cidade não se negariam a divulgá-lo de graça. O Jundiaí Agora o fez várias vezes, principalmente no Facebook. A última, no dia 21 de outubro. Mais: a TVE não teria estrutura para fazer os vídeos? Se conteúdo de interesse da população é publicado graciosamente e se a TVE tem capacidade técnica para produzir vídeos no formato do Você Precisa Saber, pronto! Quase R$ 2 milhões seriam economizados.


 

enquete

ENQUETE

NA HOME DO JA TEM ENQUETE SOBRE O USO DE DINHEIRO PÚBLICO PARA A PUBLICIDADE DA PREFEITURA. DÊ SUA OPINIÃO.


Como aqui ninguém é Alice e não vivemos no País das Maravilhas, seguem mais informações reveladoras sobre os vídeos estrelados pelo Harry Potter da Prefeitura. O contrato, conforme revelou a assessoria de imprensa do Executivo, não estabelece periodicidade para a produção e divulgação nem a quantidade de material a ser produzido num determinado período de tempo. Oi? Como assim? Os contratos existem para estabelecer os direitos e deveres de cada parte envolvida num pacto. Prazos e quantidades são quesitos óbvios em qualquer documento oficial. Menos para este que rege o Você Precisa Saber, que nem pode ser chamado de série. Para isto, seria necessário que os programas tivessem periodicidade semanal, quinzenal ou mensal. Bem, pelo menos os temas dos programas estão sob o controle de alguém. Eles são definidos pela Unidade de Inovação e Relação com o Cidadão (UGIRC), que antes era Secretaria de Comunicação.

LEIA O CONTRATO FIRMADO ENTRE A EUROFORT E A PREFEITURA DE JUNDIAÍ NA ADMINISTRAÇÃO PEDRO BIGARDI

Ex-prefeito – A nota divulgada pela assessoria de imprensa da Prefeitura lembrou que a Eurofort foi contratada administração Pedro Bigardi. É verdade. A gestão anterior assinou com a agência no dia 20 de março de 2014 por R$ 9 milhões que foram pagos durante o ano. Mas, a agência está longe de ser uma herança maldita já que o contrato foi prorrogado duas vezes neste ano, em março e também em setembro(veja links abaixo). Na primeira, teve o valor reduzido em R$ 3.900 milhões. A agência passou a receber R$ 1.500 milhão por semestre, o mesmo valor da prorrogação seguinte.

A PRORROGAÇÃO DE MARÇO

A PRORROGAÇÃO DE SETEMBRO

Voltando ao governo Bigardi, no final de 2015, o contrato sofreu um aditamento. A ele foi acrescida uma nova cifra. A agência passou a ganhar, além dos R$ 9 milhões, mais R$ 1.800 milhão. A Eurofort se transformou numa tremenda dor de cabeça para o ex-prefeito. No finalzinho do ano passado, o Ministério Público de Jundiaí ajuizou e ganhou uma ação determinando que a Prefeitura reduzisse os gastos com publicidade e aplicasse os recursos nas áreas de habitação popular, saúde educação.

Na petição inicial, assinada pelos promotores de Justiça Claudemir Battalini, Flamínio Silveira Amaral Junior, Jorge Alberto Mamede Masseran, Amanda Luiza Lopes Kalil, Karina Bagnatori e Maria Paula Machado de Campos, o Ministério Público alegou que a Prefeitura não vinha cumprido o estabelecido pelo Programa de Metas construído com base em promessas de campanha, no sentido de reduzir o déficit habitacional no município.

IVAN 1

A página da Eurofort na internet: interessante é que os vídeos do Você Precisa Saber não aparecem no site da agência…

Em Jundiaí, o Plano Local de Habitação de Interesse Social estabeleceu déficit quantitativo em cerca de 12 mil moradias, mais as 2.430 necessárias para retirar famílias de assentamentos precários, além das 780 unidades com necessidade de regularização fundiária e melhoria habitacional em aproximadamente 1.900 unidades. A justificativa para o baixo investimento na área é a de que “a habitação não estava na pauta de prioridades das administrações do município de Jundiaí”.

O texto publicado no site do Ministério Público no dia 20 de dezembro de 2016 prossegue: “Por outro lado, o gasto de verbas públicas em serviços de publicidade por parte do município vem atingindo valores expressivos: só no período entre 2013 e 2016, foram gastos aproximadamente R$ 21 milhões. Um único contrato, com prazo de um ano e que vem sendo renovado, prevê gasto estimado em torno de R$ 9 milhões por ano para “execução dos serviços de publicidade do município”. “Além de tantos gastos com publicidade institucional, o município tem elevado endividamento, faltando recursos para diversos serviços e investimentos, alegando para diversas situações falta de recursos públicos (…), buscando financiamentos  que oneram o Município com juros e pagamentos por muitos e muitos anos. o saldo das dívidas do Município até o momento é de R$ 179.981.016,42.

Diante do quadro, o Poder Judiciário concedeu parcialmente a medida liminar, determinando que a Prefeitura de Jundiaí ficasse impedida, a partir de 2017, de realizar gastos a título de comunicação, serviços de propaganda e de publicidade legal “em valor que supere o que foi gasto, no exercício anterior, com as áreas de saúde,educação, habitação ou assistência social, isoladamente consideradas”, valendo como teto o gasto de menor valor, atualizado pela inflação.Para caso de descumprimento, foi estabelecida multa de R$ 10 mil por dia, sem prejuízo da adoção de outras medidas cabíveis.

O Jundiaí Agora (JA) tentou contato com o promotor Claudemir Battalini. Ele, no entanto, não deu retorno. O responsável pelo Jornal da Região também não deu retorno.

A Eurofort Comunicação enviou nota informando que é uma empresa contratada pela Prefeitura Municipal de Jundiaí, por meio de um processo licitatório que foi realizado no ano de 2014. Todas as informações referentes aos serviços prestados estão no contrato 112/2014 que está disponível para consulta pública. Quanto aos gastos e à remuneração da Eurofort, é uma prerrogativa do Município de Jundiaí como determina a Lei Municipal no 3.462/89, no seu artigo 03, que determina que os gastos com publicidade e propaganda deverão ser publicados trimestralmente pelo poder Executivo. 


O JUNDIAÍ AGORA É ASSIM: UM JORNAL COM VERGONHA NA CARA!