VÍDEO – Depois de VAIAS, prefeito retira projeto do AUMENTO do IPTU

O prefeito de Jundiaí, Luiz Fernando Machado, retirou da pauta de votação da Câmara de Jundiaí, o projeto de autoria dele de aumento do IPTU em 25%. A sessão ocorreria na noite desta terça-feira(12). A pressão foi insuportável. O Jundiaí Agora noticiou que comerciantes pretendiam lotar a Câmara e forçar os vereadores a votarem contra a proposta. Hoje pela manhã, durante a inauguração do supermercado Tauste, na avenida Antônio Segre, Machado ouviu vaias dos consumidores que aguardavam a abertura da loja para fazer compras. Também ouviu vários gritos de ‘fora’.

O prefeito atendeu às reivindicações de vereadores preocupados com a repercussão negativa que este aumento traria para tanto para a Prefeitura como para a Câmara. Para o portal tudo.com.vc, o chefe do Executivo chegou a dizer que preferia o suicídio político a aniquilar as contas da Prefeitura. Um parlamentar que participou da reunião disse que foi extremamente difícil convencer Machado e a equipe econômica da Prefeitura a voltar atrás. A preocupação maior dos assessores do prefeito é aumentar a arrecadação e isto aconteceria com o reajuste do IPTU.

Luiz Fernando Machado vinha sendo duramente criticado nas redes sociais pela proposta. Desde que o projeto chegou à Câmara ele vinha sendo alertado por vereadores sobre o desgaste que sofreria. “Se ele tivesse feito uma proposta com 5 ou 10% de aumento não haveria uma pressão como esta que todos(vereadores e o próprio prefeito) sofremos”, comentou outro parlamentar.

Ainda não há informações se o projeto será engavetado de vez ou se haverá audiência pública para explicar detalhadamente como o Executivo chegou nos 25%, como o vereador Wagner Ligabó disse para o Jundiaí Agora. “Acredito que não haja mais tempo para a proposta voltar para a Câmara neste ano. A menos que ele convoque uma extraordinário. Mas acho difícil isto acontecer”, explicou um dos vereadores ouvidos pelo JA.

ENTENDA O CASO

COMERCIANTES PROMETEM PRESSÃO CONTRA AUMENTO DO IPTU

NUMA AULA DE POLÍTICA LOCAL, LIGABÓ DIZ ‘NÃO’ AO AUMENTO DO IPTU